Logo A Tribuna
ASSINE
Icone usuario ENTRAR
CLUBE IMPRESSO ACERVO ASSINANTE

Mulher morre após ser atropelada em faixa de pedestres por motociclista em Bertioga

Edna Quaresma Soares, de 47 anos, voltava da igreja com a família quando foi atropelada na Rodovia Rio-Santos

Por: Por ATribuna.com.br  -  02/02/21  -  23:03
Edna Quaresma Soares, de 47 anos, voltava da igreja com a família quando foi atropelada
Edna Quaresma Soares, de 47 anos, voltava da igreja com a família quando foi atropelada   Foto: Arquivo Pessoal

Uma mulher de 47 anos morreu após ser atropelada por um motociclista na faixa de pedestres em Bertioga. Edna Maria Quaresma Soares voltava da igreja com família, quando foi atingida pelo automóvel no último domingo (31).


Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!


Em entrevista para o site ATribuna nesta terça-feira (2), a filha da vítima, Marciana Quaresma Soares conta que voltava da igreja por volta das 22h20 com a mãe, a filha e o marido e pretendiam atravessar em uma faixa de pedestres, próximo ao KM 219, na Rodovia Rio-Santos, bairro Chácara Vista Linda, para chegar até um ponto de ônibus. Marciana foi na frente com o marido e a filha. A mãe foi logo atrás mas, ainda segundo o relato da filha, neste momento a moto acertou Edna.


Marciana só percebeu o que tinha acontecido quando viu a moto derrapando pela pista. Após o acidente, Edna foi resgatada para um pronto-socorro municipal, mas não resistiu aos ferimentos e faleceu. "Ele vinha em alta velocidade porque a pancada foi tão forte que jogou minha mãe longe e ela ficou sem falar e nem se mexer. Eu fiquei gritando no mato, na chuva, e ela não respondia...Ela ficou à beira da morte com a pancada e faleceu no hospital sem conseguir respirar mais", diz.


Conforme as informações que constam no boletim de ocorrência, o condutor foi acelerar para dar continuidade ao trajeto, após ter parado para o casal, e não viu a pedestre que atravessava em seguida. Por isso, não conseguiu frear a tempo. O caso foi registrado como homicídio culposo na direção do veículo automotor. O motociclista foi liberado após a ocorrência.


A família se indigna com a situação e pede justiça para que o autor não saia impune. "Porque aqui os motoboys andam assim e não respeitam as leis de trânsito? Tem que ter radar. Tá tudo errado", lamenta Marciana.


Pelas redes sociais, familiares desabafaram sobre a situação e lamentaram o ocorrido. A filha Mally Quaresma também se indignou com o ocorrido. "O indivíduo jogou minha mãe longe. Jogou lá no meio dos matos e ela estava na faixa de pedestre...Ame, abrace e beije enquanto pode, porque as coisas acontecem em um piscar de olhos", diz mally em trechos do post.


Em nota, a Secretaria de Segurança Pública (SSP) informou queo caso é investigado por meio de inquérito policial instaurado pela Delegacia de Bertioga. Diligências estão em andamento em busca de elementos que auxiliem no esclarecimento dos fatos e circunstâncias do atropelamento.


A reportagem de ATribuna.com.br também procurou o motociclista, mas não conseguiu um pronunciamento até a publicação desta reportagem.


Logo A Tribuna