Jovem de Bertioga sofre há quase uma semana com pedaço de cotonete preso dentro do ouvido

Jovem procurou o pronto-socorro, mas o algodão não foi retirado. Instituto responsável pela unidade alega que o algodão não foi encontrado

Uma jovem, de 18 anos, ficou com um algodão preso no canal do ouvido após usar hastes flexíveis para limpá-lo. Ao retirar a haste, a jovem percebeu que o algodão que estava na ponta havia sumido. Depois de reclamar de incômodo na região, a mãe da jovem decidiu levá-la até o pronto-socorro de Bertioga no último sábado (22), mas o algodão não foi retirado. 

Assine A Tribuna agora mesmo por R$ 1,90 e ganhe Globoplay grátis e dezenas de descontos!

Ana Cláudia Oliveira diz, que ao chegar no pronto socorro com a filha e passar pelo médico, foi informada de que o objeto não poderia ser retirado porque a unidade não tinha a pinça certa para fazer o procedimento, sendo orientada a levar a jovem até um hospital de Santos.

A dona de casa diz ainda que os funcionários da unidade tentaram tirar com outro tipo de pinça, mas não conseguiram “Eu acho um absurdo a gente ter que sair de Bertioga até Santos pra resolver um problema simples”, diz.

Cláudia ainda desabafa que a maior preocupação é pensar que outras pessoas podem dar entrada na unidade, em uma situação pior, e não terem o problema resolvido, por conta da falta de insumos.

Procurada pela reportagem de ATribuna.com.br, a Prefeitura de Bertioga informou que o instituto Nacional de Tecnologia e Saúde (INTS), que é o responsável pelo contrato de gestão do Hospital Municipal de Bertioga e SAMU, informa que a paciente, de 18 anos, foi atendida no dia 20 de setembro e deu entrada na unidade referindo dor de ouvido e que tinha um cotonete há quatro dias dentro do ouvido. Ela foi atendida pelo plantonista, examinada e o corpo estranho não foi identificado. Por isso, ela foi orientada a procurar o ambulatório de especialidades.

Tudo sobre: