EDIÇÃO DIGITAL

Sexta-feira

3 de Abril de 2020

Bancos de sangue estão preocupados com os estoques; veja como doar

Unidades adotaram medidas para garantir a segurança dos doadores, como ligar para agendar o horário da doação e evitar aglomeração

Em tempos de pandemia de coronavírus e com a população do Estado em quarentena, está aceso o alerta para os estoques dos bancos de sangue da região. Uma alternativa para garantir a segurança dos doadores tem sido o agendamento de um horário pelo telefone.

Segundo a médica assistente do Banco de Sangue da Santa Casa de Santos, Martha Rocha, a queda na procura pelo serviço já é de 80%. “O problema maior são as plaquetas e o sangue mais recente, que precisa ser de até cinco dias para cirurgias, por exemplo”.

Segundo ela, são usadas de 20 a 30 bolsas de plaquetas por dia, fora as emergências, como pacientes com sangramento na emergência ou em cirurgias.

“Uma pessoa ajuda até outras quatro. O único cuidado que pedimos neste momento é não vir doar com sintomas de gripe”.

Quem quiser ajudar neste momento, Martha garante que é seguro. “Disponibilizamos o agendamento para quem se sentir mais seguro, além de termos adotado diversas medidas de higiene e segurança”.

Em Guarujá, a enfermeira do Banco de Sangue do Hospital Santo Amaro, Viviane dos Santos, diz que os doadores também pouco tem ido ao local. “Eram cerca de 30 por dia e hoje recebemos de sete a dez pessoas”.

Para evitar a aglomeração de pessoas, são disponibilizadas senhas por horário (veja quadro). “Assim, não ficam muitas pessoas. Também foram reduzidas de três para duas cadeiras na sala de doação”, diz Viviane.

Ela explica que são usadas de 10 a 23 bolsas todos os dias. E, doar, é fundamental para repor o estoque principalmente dos pacientes de oncologia e hemodiálise, que precisam desse cuidado todo dia.

“Diria que nossos estoques estão razoáveis, mas já percebemos uma redução. O detalhe é que a bolsa de sangue dura 35 dias e acaba vencendo”.

Cuidados

A hemoterapeuta do Banco de Sangue do Hospital de Cubatão, Gabriela de Luca, explica que a preocupação com os estoques tem a ver com dois fatores.

O primeiro é a quantidade de pessoas que tomará a vacina contra a gripe. Elas devem esperar quatro semanas para poder doar sangue.

O segundo tem a ver com o número de pessoas que terão coronavírus. Elas estarão impedidas de doar por 90 dias. Quem também teve contato com algum caso suspeito deve aguardar 30 dias.

“Estamos conseguindo manter os estoques, mas os doadores diminuíram. Estamos ligando para eles virem até aqui. É importante reforçar essa mensagem para os saudáveis, pois os acidentes continuam acontecendo, além dos pacientes com doenças crônicas que precisam de sangue”, explica Gabriela.

Ela diz que até os casos de coronavírus com complicações podem precisar de sangue e que a doação não oferece risco para o doador.

“Pedimos que os doadores façam o agendamento para evitar aglomeração e reforçamos a limpeza da superfície entre um doador e outro. O Banco de Sangue também é isolado do hospital, ou seja, não existe o contato com os casos suspeitos da doença”.

Veja onde e como doar na região:

>> Requisitos

- Estar em boas condições de saúde;
- Pesar no mínimo 50kg;
- Não estar em jejum;
- Estar alimentado, porém deve aguardar 2 horas após o almoço, e 1 hora após o lanche, além de evitar alimentos gordurosos;
- Não ter ingerido bebida alcoólica nas últimas 12 horas que antecedem a doação;
- Não fumar por 2 horas antes da doação e na primeira hora após a doação;
- Estar descansado e ter dormido pelo menos 6 horas nas últimas 24 horas;
- Quem tomou vacina de vírus vivos atenuados (como a da gripe e a da febre amarela) deve esperar 30 dias para a doação; já no caso de vacinas de vírus mortos (contra a gripe, por exemplo), o prazo é de uma semana;
- Menores de 18 anos e maiores de 16 anos podem doar, mas precisam estar acompanhados dos responsáveis, ou com formulário de autorização;
- Apresentar documento original com foto, emitido por órgão oficial.

>> Onde ir

  • Santa Casa de Santos (Av. Claudio Luis da Costa, 50. Jabaquara, Santos)

- Horário: de segunda a sexta, das 7 às 16h. Sábados, da 7h às 11h
- Atendimento: seis doadores por hora para não causar aglomerações
- Telefone: é possível ligar e agendar um horário, pelo telefone 3202-0600 ramal 1218

  • Hemonúcleo (Hospital Guilherme Álvaro - Rua Oswaldo Cruz, 197, Boqueirão, Santos)

- >Horário: de segunda a sábado, das 8h às 12h30
- >Atendimento: não informado
- Telefone: 3223-2860

  • Casa de Saúde de Santos (Rua Armando Salles de Oliveira, 138, Boqueirão)

- >Horário: de segunda a sexta, das 7 às 15h
- Atendimento: doador fica a um metro de distância da recepcionista, espaçamento das cadeiras e reforço nas medidas de higiene e segurança  
- Telefone: informações pelo telefone 3202-7900

  • Hospital Santo Amaro (Rua Quinto Bertoldi, 40, Vila Maia, Guarujá)

- Horário: de segunda a sexta, das 7 às 11h. Sendo que das 7 às 8h30 (10 senhas), das 8h30 às 9h30 (10 senhas) e das 9h30 às 11h (10 senhas)
- Atendimento: além das senhas, outras medidas de segurança estão sendo adotadas para preservar os doadores
- Telefone: em caso de dúvidas, ligar para 3389-1515 ramal 1646

  • Hospital de Cubatão (Av. Henry Borden, s/nº, Cubatão)

- Horário: de segunda a sexta, das 7 às 13h
- Atendimento: para evitar aglomeração, é preciso realizar o agendamento
- Telefone: o agendamento pode ser feito pelo telefone 3388-4887

Tudo sobre: