Baixada Santista tem plano para aulas presenciais, mas retorno é visto com cautela

Governo do Estado mantém retomadas das aulas presenciais para o dia 1º de fevereiro. Confira o posicionamento e planejamento das nove cidades da região

Enquanto os números da pandemia pioram, o Governo do Estado mantém o posicionamento de retomar as aulas presenciais em fevereiro. O principal argumento é o impacto negativo do ensino remoto na vida dos estudantes, nos aspectos pedagógico, emocional e social. Porém, na região, o retorno que antes era dado como certo, ainda que escalonado, é visto com cautela e adiamentos já foram divulgados. Em Santos, o esquema híbrido de retomada das atividades foi divulgado pela Prefeitura na quinta-feira (14).

Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!

Na Baixada Santista, a maioria das cidades tem um plano pronto de retomada das aulas presenciais para o próximo mês. Mas a pressão dos novos casos no sistema de saúde e o plano de vacinação estadual que não incluiu os professores no grupo prioritário mantêm o assunto como um dilema. Em Cubatão, por exemplo, a Secretaria de Educação afirma que o retorno não pode ser dado como fato consumado.

“As decisões serão tomadas em conjunto com as secretarias de Saúde e Assistência Social, com base nos números da pandemia. O retorno acontecerá quando houver segurança para as crianças, famílias e funcionários”, afirmou a pasta, em nota para ATribuna.com.br.
 
Em Guarujá, as aulas começarão em 8 de fevereiro, mas ainda de maneira remota a partir do Ensino Fundamental 1. A Cidade decidiu, por enquanto, postergar a volta das atividades presenciais para o dia 22 do mesmo mês. 

Na última quarta-feira, em São Paulo, o secretário estadual de Educação, Rossieli Soares, fez pressão sobre os municípios. “Dizer que vai esperar vacina não é justificativa epidemiológica. Senão, teriam que fechar todos demais setores essenciais. Se necessário, vamos judicializar”.

Retomada
“Precisamos estar atentos à circulação do vírus, às taxas de internação e à possibilidade de aumentar cada vez mais a testagem da população. Mas, também é preciso entender que a escola deve ser o último lugar a ser fechado”, avalia a psicóloga e pedagoga Teresa Schoen, que atua no Centro de Atendimento e Apoio ao Adolescente do Departamento de Pediatria da Unifesp.

A especialista coordenou um estudo que reuniu e analisou os protocolos adotados e os impactos no retorno às aulas presenciais em vários países. Ela explica que o principal ponto observado foi como o vírus se comportou no ambiente escolar.

“A circulação do vírus não se mostrou uma grande ameaça, desde que adotados rígidos protocolos de higiene. Percebeu-se que a transmissão de criança para criança e criança para adulto foi pequena. O maior problema foi a transmissão entre adultos”.

Preocupação 

O Sindicato dos Professores do Estado (Apeoesp) reconhece as dificuldades dos alunos, mas teme pela saúde da comunidade escolar com as aulas presenciais. A entidade pede que os professores sejam vacinados na primeira fase da campanha de imunização. Ter a vacina para voltar ao trabalho também é o posicionamento do Sindicato dos Servidores Municipais de Santos (Sindserv).

Confira o posicionamento de cada rede:

Bertioga 

Datas: a Prefeitura prevê a volta às aulas em 8 de fevereiro, de forma gradativa, com até 50% dos alunos de forma presencial, por dia. O início contará com alunos do 4º e 5º anos, sendo uma parte pela manhã e a outra à tarde 

Como evitar evasão: a Secretaria Municipal de Educação criou um programa digital para fazer o controle dos alunos que interagem de forma total e parcial. Também foram entregues aos pais alertas para informar quando os filhos não estão participando das atividades. Em 2020, cerca de 25% dos alunos não interagiram e outros 25% fizeram isso de forma parcial 

Cubatão 

Datas: a Prefeitura não confirma a data da retomada das aulas presenciais. Em nota, explica que “todas as decisões serão tomadas em conjunto com as secretarias de Saúde e Assistência Social, com base nos números da pandemia. O retorno acontecerá quando houver segurança” 

Como evitar evasão: segundo a secretária de Educação, Márcia Regina Terras Geraldo, a Cidade seguirá apostando este ano na busca ativa dos alunos com frequência irregular. Casos reincidentes são encaminhados ao Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente ou Conselho Tutelar. Em 2020, a taxa de evasão no Ensino Fundamental foi de 12%. A rede municipal de ensino foi adaptada para o modelo híbrido e remoto, com investimentos em equipamentos e tecnologia 

Guarujá 

Datas: as creches da rede retornaram às aulas presenciais na última segunda-feira. Já para estudantes dos demais níveis, a Prefeitura decidiu postergar a volta presencial para 22 de fevereiro. O ano letivo começará no dia 8, remotamente 

Como evitar evasão: a Secretaria Municipal de Educação finaliza levantamento sobre evasão escolar para dar início às ações de busca ativa este ano. A expectativa é que isso seja concluído nas próximas semanas 

Itanhaém 

Datas: segundo a Prefeitura, todo o planejamento é voltado à retomada das aulas presenciais de forma gradual e escalonada, a partir de fevereiro. Inicialmente, as atividades acontecerão de forma híbrida 

Como evitar evasão: as escolas ofertarão atividades remotas por meio de material impresso e um aplicativo que disponibilizará a professores e alunos uma conexão para a realização de atividades. Em 2020, os anos iniciais tiveram uma taxa de 0,098% de alunos considerados evadidos. Nos anos finais, a evasão foi de 0,73%. Houve busca ativa de estudantes no ano passado e a promessa é que isso se repetirá em 2021 

Mongaguá 

Datas: a Cidade não confirma datas, mas afirma em nota que “o iminente retorno presencial será de forma reduzida” 

Como evitar evasão: equipes da Diretoria de Educação foram às casas dos estudantes que não retiraram os roteiros de estudo em 2020, averiguando se havia necessidade de auxílio. Ainda assim, a taxa de evasão chegou a 17%, principalmente entre alunos de 13 e 14 anos. Este ano, a estratégia é manter comunicação constante com os pais

Peruíbe 

Datas: a Secretaria de Educação aguarda autorização da Secretaria de Saúde para o retorno a partir do dia 8, de forma híbrida, com capacidade diária de 25% dos alunos por sala. As quartas-feiras serão dedicadas ao trabalho com atividades pedagógicas não presenciais e limpeza das escolas. Se esse esquema receber sinal verde, o plano prevê o retorno dos alunos do 6º ao 9º anos do Ensino Fundamental. Conforme o sucesso destas ações, o plano avançará até atingir os matriculados nas creches 

Como evitar evasão: a busca ativa por alunos que não retiraram as atividades impressas foi implantada em 2020, com os professores gravando videoaulas, dando plantões de orientações e acompanhando atividades pedagógicas não presenciais em horários agendados. Os casos de reprovação representaram 1% dos alunos matriculados na rede municipal e houve 0,36% de abandono 

Praia Grande 

Datas: segundo a Prefeitura, a retomada acontecerá em fevereiro, com condições específicas e de forma gradual 

Como evitar evasão: desde 2020, vem sendo aperfeiçoando a oferta de atividades no formato remoto e impresso àqueles que não tiveram condições de interagir de forma online. Com isso, a taxa de evasão ficou em 2%. Essas estratégias permanecem este ano. Além disso, encontros de acolhimento acontecerão com os docentes e demais servidores, possibilitando que eles colaborarem com o acolhimento socioemocional dos alunos. 

Santos 

Datas: retorno híbrido, com aulas on-line e presenciais. Uma vez por semana, o aluno irá à escola, por até 4h. Nos outros quatro dias, ficará em casa. A exceção é a EJA, com três dias presenciais por semana. As salas terão 20% da capacidade. Em 1º de fevereiro, classes de jardim, pré-escola, ensinos Fundamental I e II e EJA começam em formato híbrido. Até o dia 5, jardim, pré e 1º e 2º anos do Fundamental farão adaptação de até 1h30. Maternal I e II seguem de forma remota até 22 de fevereiro, quando entram no sistema híbrido, com adaptação até dia 26 do mesmo mês. Berçários I e II só iniciam as aulas híbridas em 8 de março, com adaptação até 12 de março

Como evitar evasão: Prefeitura criou grupos com representantes da Educação e diversos setores para discutir o tema, além de distribuir às escolas itens de proteção individual e material de higiene. Haverá formação com professores e gestores nas próximas semanas 

São Vicente 

Datas: a Prefeitura não confirmou data de retorno das aulas presenciais 

Como evitar evasão: em 2020, o índice de evasão na rede foi de 2,86% (773 alunos). Para esse ano, a Prefeitura mantém o plano de ação de busca ativa. As aulas remotas contarão com o apoio do blog da Secretaria Municipal de Educação, que disponibilizará atividades diferenciadas para atender a Educação Básica. Serão utilizadas ferramentas tecnológicas e aplicativos de identidade de cada docente. O educador terá liberdade de escolha de ferramentas e materiais para ministrar as aulas remotas 

Rede estadual 

Datas: a retomada ocorrerá em 1º de fevereiro. O Governo do Estado autorizou a abertura das escolas em todas as fases do Plano São Paulo, obedecendo aos critérios de segurança estabelecidos pelo Centro de Contingência do Coronavírus 

Como evitar evasão: na busca ativa promovida pela Secretaria de Estado da Educação, houve disparo de mensagens de textos para celulares e e-mails aos estudantes e responsáveis. Uma campanha foi criada no TikTok e com a produtora KondZilla. Houve ainda o lançamento do programa Conecta Educação, com investimento de R$ 1,5 bilhão para a compra de notebooks, computadores, Wi-Fi, estabilizadores, TVs e outros itens para melhorar a conectividade nas 5,1 mil escolas da rede estadual 

Tudo sobre: