Baixada Santista tem 34 mortes e 823 casos confirmados de coronavírus nas últimas 24 horas

Especialista diz que números pedem atenção e cada um deve fazer a sua parte: sair de casa quando for necessário e sempre usar máscara

A Baixada Santista confirmou 34 mortes e 823 casos de coronavírus nas últimas 24 horas. Com isso, já são mais de 44 mil doentes e 1,5 mil mortos na região desde o começo da pandemia.

Para o infectologista Rodrigo de Almeida, os números mostram que a doença está longe de estar controlada na região.“Em um único dia, houve um pico que fugiu da média que estávamos acompanhando. Apesar da variação  diária, esses dados atualizados mostram que o assunto pede atenção. Certamente houve descuido e isso é justamente o que não pode acontecer”.

O especialista pede que as pessoas sigam usando máscara, além de manter o isolamento social e sair apenas quando for necessário. Evitar aglomeração e higienizar sempre as mãos, evitando o contato com o rosto, também são cuidados fundamentais.

Nas últimas 24 horas, só em Santos houve 14 confirmações de Covid-19 em munícipes que morreram num período de 10 dias (14, 30 e 31 de julho e 1º, 2, 4, 5, 6, 8 e 9 de agosto), sendo oito mulheres (57, 62, 69, 79, 80, 83, 87 e 95 anos) e seis homens (65, 75, 75, 77, 83 e 88 anos).

Mais 394 casos do novo coronavírus também foram confirmados entre moradores de Santos, passando o acumulado de 16.764 para 17.158. O aumento foi de 2,3%.

Já em Guarujá, foram sete mortos (chegando a um total de 305), além de 83 notificações de testes positivos, totalizando 6.986 casos confirmados, dos quais 15 estão internados, 12 em Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Outros 617 estão em em casa.

Outras cidades também registraram mortes. São elas São Vicente (5), Itanhaém (5), Bertioga (1), Mongaguá (1) e Peruíbe (1).

Nas últimas 24 horas, diminuiu em 3,7% o número geral de pessoas com sintomas da Covid-19 internadas em Santos e, no mesmo percentual, o de pacientes em leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Na terça-feira (11) , havia 214 pacientes nos hospitais públicos e privados e, nesta quarta (12), eram 206. Já o total de internados em leitos de UTI, destinados aos casos mais graves, passou de 108 para 104. 

Tudo sobre: