Baixada Santista não pretende endurecer regras contra a Covid-19 apesar de aumento na média móvel

Pela segunda semana seguida houve aumento na média móvel de mortes em sete dias na região

Apesar da segunda semana seguida de aumento na média móvel de mortes por Covid-19 em sete dias na região, as cidades não pretendem endurecer as regras de flexibilização para conter o avanço da doença. Entre os dias 17 e 22, foram 11 óbitos por dia. Na semana anterior, de 9 a 15 de setembro, o número de óbitos era 9.

Segundo o secretário de Saúde de Santos, Fábio Ferraz, na semana passada houve uma particularidade no boletim epidemiológico.

“Recebemos notificações de santistas que morreram em outros lugares e isso desiquilibrou a semana. As pessoas não devem ir à praia e é preciso evitar aglomerações, mas, de forma geral, não percebemos em números uma mudança de cenário para pior”.

Ele explica que é feito um acompanhamento diário dos números. “Nenhum indicador nos permite ações mais contundentes. Temos estabilidade no cenário e 30% de ocupações de leitos na UTI”, diz o secretário.

Santos registrou nesta terça-feira o menor número de pessoas com sintomas da covid-19 internadas na rede hospitalar dos últimos cinco meses. São 161 pacientes em 611 leitos, ou seja, uma taxa de ocupação de 26%, a mais baixa desde 24 de abril, quando os hospitais passaram a informar os dados à Secretaria de Saúde.

Há 75 pacientes nos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). A taxa de ocupação dos 249 leitos de UTI é de 30%.

Outras cidades

Guarujá, além de dizer que todas as medidas de prevenção e cuidado seguem valendo, pede a ajuda da população para que faça a sua parte. “É possível denunciar via 153, da Guarda Civil Municipal, ou pelo 190, da Polícia Militar”.

São Vicente diz que “segue com todas as atividades permitidas pela Fase Amarela do Plano São Paulo”. Mongaguá também justifica que “as medidas de prevenção estão valendo”.

Já Cubatão explica que registrou três óbitos por Covid-19 entre 1º e 21 de setembro. “A média móvel tem variado entre 0,3 e 0,1 óbitos por semana, índices que já haviam sido registrados ao longo de agosto, o que aponta para estabilidade no município, assim como a redução contínua de novos casos por semana”.

Peruíbe garante que segue monitorando os números e que, se for necessário, reavaliará a flexibilização.

As prefeituras de Itanhaém e Praia Grande não responderam até o fechamento desta edição.

Tudo sobre: