EDIÇÃO DIGITAL

Quinta-feira

6 de Agosto de 2020

Baixada Santista e Vale do Ribeira sobem para fase Amarela no Plano SP

Reclassificação possibilita leque maior de segmentos comerciais abertos, horário ampliado de atendimento e Vila Belmiro receber jogos do Paulistão

O governador João Doria (PSDB) elevou, no começo da tarde desta sexta-feira (10), as cidades da Baixada Santista e do Vale do Ribeira na classificação da fase laranja (etapa 2) para a cor amarela (3) no Plano São Paulo, que estipula regras para flexibilização da quarentena. Melhora nos cinco indicadores, entre eles a taxa de ocupação hospitalar e de novas internações por Covid-19, justifica a mudança de patamar local para a retomada consciente dos setores da economia.

A reclassificação ocorre um mês após a região subir para a etapa laranja, que possibilitou a reativação de setores do comércio considerados "não essenciais". E duas semanas após a cidade de São Paulo alcançar a fase amarela no planejamento estadual. Já no Vale do Ribeira, a melhora nos indicadores ocorreu após a região ter regredido nos indicadores paulistas que possibilita a adoção de regras mais flexíveis à abertura gradual do comércio.

"São bons sinais que nos permite continuar a retomada gradual e segura no Estado", afirma o governador. Segundo ele, as regiões paulistas deram início ao "platô" de normalização dos casos e mortes do novo coronavírus. "Isso não significa relaxamento, mas redobra a atenção para manter o controle da doença", continua. A nova reclassificação no planejamento estadual vai ocorrer no dia 24 de junho.

Conforme os dados estaduais, apresentados na coletiva de imprensa no Palácios os Bandeirantes, dois dos cinco indicadores locais colocariam a Baixada Santista na fase verde (quarta etapa). São eles: ocupação de leito (49%) e leitos exclusivos para a Covid-19 por 100 mil habitantes (26,2). 

Já os índices de variação de casos (1,29), variação de internações (0,99) e variação de óbito (0,97) foram os responsáveis por alocar as cidades da região no patamar amarelo.

Mapa com a reclassificaçao das regiões paulistas (Divulgação/Governo do Estado)

Com a nova coloração, um leque maior de setores comerciais e de serviços podem ter autorização de funcionamento em meio às medidas de isolamento social. A nomenclatura permite, ainda, a Vila Belmiro receber jogos do Campeonato Paulista, que será retomado no dia 22 de julho. "A Baixada Santista e Registro (Vale do Ribeira) tiveram melhora nos indicadores", diz a secretária de Desenvolvimento Econômico, Patrícia Ellen.

A mudança era aguardada por autoridades locais desde o começo do mês, quando houve a quarta atualização dos parâmetros estaduais de reclassificação das regiões paulistas no Plano SP. Naquela ocasião, o Palácio dos Bandeirantes sinalizava um “viés” amarelo.  

Contudo, o critério de variação de óbito por Covid-19 fez com que a Baixada Santista fosse mantida na classificação anterior. A taxa era de 1,61, meio ponto percentual acima da média do Estado e superior à da Capital, que aferiu 0,98 (o que a coloca na fase amarela).  

Amarela  

A terceira entre as cinco fases do Plano SP autoriza os municípios classificados na cor amarela a editar regras mais tolerantes de funcionamento do comércio. Esses segmentos podem atuar com até 40% da capacidade física e horário de até seis horas diárias - antes eram de 20% em quatro horas.  

Bares, restaurantes e praça de alimentação também recebem autorização de funcionamento, desde que ao ar livre e com capacidade de ocupação de até 40%. Valem as seis horas diárias e necessidade de se adotar protocolos padrões e setoriais específicos. Regras similares são adotadas para salões de beleza e barbearias.  

As cidades incluídas na fase Amarela podem receber jogos do Campeonato Paulista, que retorna as atividades no próximo dia 22. Caso a Baixada Santista permaneça nessa faixa do Plano SP até lá, o Santos Futebol Clube poderá fazer uso do mando de campo. 

Doria prorrogou ainda a duração da quarentena no Estado, que agora será entre os dias 15 e 30 de julho.

Tudo sobre: