EDIÇÃO DIGITAL

Quinta-feira

20 de Junho de 2019

Baixada Santista é atingida por 'festival' de raios durante a madrugada

Cerca de 2.200 raios caíram na região. Moradores registraram o fenômeno

Várias cidades da Baixada Santista assistiram a um "festival" de trovões e raios na noite de quinta (10) e início da madrugada desta sexta-feira (11). O temporal provocou a queda de mais de 2.200 raios na região, alagamentos em alguns pontos e queda de energia em outros.

O especialista e meteorologista Diogo Arcego explicou que o panorama geral é de um sistema de bloqueio que impede que uma frente fria avance para o estado. Por conta disso, não ocorre uma mudança significativa na previsão do tempo. Ele afirma que os próximos dias em São Paulo serão predominantemente secos, com temperaturas elevadas, e em grande parte do estado, entre a tarde e a noite, ocorrem essas pancadas de verão.

"Essas chuvas são de forte intensidade e de curta duração, acompanhadas de raios que atingem pontos isolados. Esse temporal que atingiu a Baixada Santista se estendeu até Campinas e Região Metropolitana de São Paulo", contou. Segundo Diogo, esses fenômenos acorrem com frequência nessa época do ano, e têm relação com a temperatura elevada, que são características do Verão.

Ele alerta que ocorrem muitas descargas elétricas, o que acaba oferecendo riscos à população. “É necessário evitar áreas vulneráveis e mar aberto, em regiões litorâneas como a Baixada Santista, e ter cuidado com locais propensos a alagamentos. Além de colocar em perigo a vida humana, as descargas elétricas podem afetar também aparelhos eletrônicos”, avisa.

O meteorologista ainda conta que, em algumas situações, as descargas elétricas podem vir acompanhadas de ventos. Para os próximos dias, ele atenta que o tempo continuará igual, sendo necessário ter cuidado e se manter em lugares fechados.

Para Rodolfo Bonafim, diretor científico da ONG Amigos da Água, a relação do tempo das últimas semanas com o fenômeno dos raios desta madrugada foi o calor intenso. "O que tem acontecido nas últimas semanas é o estabelecimento de uma massa de ar de alta pressão muito intensa no Oceano Atlântico, e isso tem influenciado bastante a região do litoral paulista. O que acontece é que, mesmo com essa alta pressão, chega uma hora que as pancadas de chuva com raios acontecem", relata.

Ele explica que estamos sob influência do fenômeno El Niño, que aquece as águas do Oceano Pacifico e pode causar muitas descargas elétricas e chuvas. Este ano, ele está trazendo mais calor do que chuvas, por enquanto.

Falando dos riscos, ele comenta que sair de guarda-chuva na tempestade é muito perigoso, ainda mais os de ponta metálica. Ficar dentro do carro pode ser uma proteção, mas vale ter cuidado com as partes metálicas, também. Atenção especial com árvores, andar de moto ou bicicleta, e praia. Desligar os aparelhos eletrônicos e fechar as janelas pode ajudar na prevenção.

Fabiana Silva, estudante de Farmácia, registrou em vídeo um dos raios que atingiu a região. Ela conta que começou a ventar muito e, de repente, começaram os raios. "Minha primeira atitude foi fechar as janelas e desligar tudo da tomada, e logo em seguida gravar o fenômeno para mandar via WhatsApp para meus primos", lembra.

Ela conta que começou a gravar porque ficou espantada com a quantidade de raios, e que, como mudou há pouco tempo para seu apartamento, nunca tinha visto desse jeito. "Aqui em Praia Grande, há muitos raios, toda vez que ameaça dar uma tempestade, acontece esse fenômeno, porém, nunca tinha visto aquela quantidade de raios por tanto tempo", relata.

Para se proteger de temporais, ela disse que, quando está em casa, procura fechar as janelas e desligar todos os eletrônicos da tomada. Se está na rua, procura entrar em um estabelecimento e ficar lá até a tempestade melhorar. "Aqui no meu bairro, ficamos sem energia durante uns cinco minutos, e logo voltou. Porém, em seguida, ouvimos barulho de alarmes disparando", revela.