Aumento no número de turistas na Baixada Santista é motivo de preocupação para a polícia

Dados da Secretaria Estadual de Segurança Pública referentes ao mês de setembro mostram que houve aumento nos casos de latrocínio, homicídio doloso, furto e estupro na comparação com o mesmo período do ano passado

O aumento no fluxo de turistas na Baixada Santista refletiu diretamente nos dados sobre violência, divulgados pela Secretaria Estadual de Segurança Pública. Na comparação com setembro do ano passado, houve aumento nos casos de latrocínio (de zero para um), homicídio doloso (28,6%), furto (17,8%) e estupro (11,6%) na região. Também houve, porém, queda de 47,1% em furto de veículos, 31,1% em roubo de veículos e 21% nos roubos em geral.

Clique aqui e assine A Tribuna por apenas R$ 1,90. Ganhe, na hora, acesso completo ao nosso Portal, dois meses de Globoplay grátis e, também, dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!

Segundo o coronel Cássio Araújo de Freitas, comandante da Polícia Militar na Baixada Santista, o aumento no fluxo de pessoas é uma preocupação.

“Um fenômeno que tem crescido é o turismo de um dia. Esse turista normalmente vem para se divertir o máximo que puder e isso implica aumento no número de veículos na região, principalmente nos horários de pico.”

O coronel explica que o impacto nas estradas gera mais ocorrências, pois o trânsito facilita delitos.

“Com esse crescimento no número de pessoas, temos de atender a área urbana e apoiar a Polícia Rodoviária. Outra questão é que o turista fica mais tempo na faixa de areia e isso aumenta também os casos de furto”, diz Cássio.

Seis viaturas chegaram à região para ajudar no atendimento da demanda na radiopatrulha, explica o coronel, que pede a colaboração da população.

“As solicitações de atendimento por causa de barulho, como pancadões, têm atrapalhado o serviço da Polícia Militar. Por isso, queremos contar com a civilidade das pessoas. Ao atender uma ocorrência com pessoas bêbadas causando transtornos, por exemplo, podemos deixar de atender quem realmente precisa de ajuda”, pede Cássio, reforçando a necessidade de avisar a polícia quando souber de algum evento desse tipo, para que seja feito o trabalho de prevenção.

Temporada

Para a temporada, a expectativa do coronel é que a Baixada tenha um recorde de turistas.

“Estamos nos preparando para isso há quatro meses. É algo que envolve uma longa logística. Vamos quase dobrar o número de policiais nesse período, com quase 3 mil a mais, além de viaturas. Estamos preparados para esse pico. Um indicador têm sido feriados e finais de semana.”

Tudo sobre: