EDIÇÃO DIGITAL

Segunda-feira

19 de Novembro de 2018

Lugano critica insatisfação de Nenê e fala que jogador carrega pacote negativo

Companheiros no Paris Saint-Germain, dirigente tricolor criticou postura do camisa 10

Diego Lugano, diretor de relações institucionais do São Paulo, criticou o meia Nenê por demonstrar insatisfação de ficar no banco de reservas na partida contra o Flamengo, no último domingo.

O Tricolor não multou o jogador, porém, o dirigente uruguaio disse que se ainda fosse jogador, a situação seria tratada de uma maneira diferente.

"Obviamente, se eu jogasse e hoje fosse parte do vestiário, talvez ele faria menos, porque eu teria muito mais autoridade para antecipar esse momento. Porque não deixa de ser uma situação que vocês, imprensa, gostam de falar, e ele dá assunto. Mas, dentro do clube, sabemos muito bem desde o momento em que chegou ao São Paulo como ele é, importante e grande profissional. Foi importante neste ano para o São Paulo", disse Lugano.

Mesmo sendo o segundo artilheiro da equipe com 12 gols, Nenê foi perdendo espaço depois da Copa do Mundo. Diego Aguirre optou pelo uruguaio Gonzalo Carneiro entre os titulares.

Ídolo do São Paulo, Lugano foi companheiro de Nenê no Paris Saint-Germain na temporada 2011/2012 e conhece bem as atitudes do camisa 10 do São Paulo.

"Já joguei com Nenê. Conheço muito bem. O mesmo biquinho que faz no São Paulo, ele fazia comigo no Paris, fazia no Catar, fazia sempre. Quando Nenê chegou ao São Paulo, já veio com isso... No pacote Nenê está incluído o biquinho quando não joga", afirmou o ex-zagueiro uruguaio no lançamento do filme "Onde a moeda cai em pé: a história do São Paulo Futebol Clube".

O dirigente Tricolor, que na temporada passada fez apenas 11 jogos por causa da idade avançada, disse que Nenê ainda pode acrescentar muito no clube.

"Ele (Nenê) vai ser muito importante, mas é um jogador de 37 anos e, como todo jogador dessa idade, está na última etapa da carreira e tem de entender isso. Futebol é intenso, físico, dinâmico e agressivo. No ano passado, eu passei por uma situação ainda muito pior e tive de assimilar. E assim é com todos jogadores do mundo quando vai chegando a idade".