Tribuna do Leitor - 19 de janeiro de 2021

Na edição desta terça-feira, participações de Josemilton de S. e Silva, Carlos D. N. da Gama Neto, Wagner Fernandes Guardia, Marcelo Mattos e ONG dos Amigos de Santos

Por: Da Redação  -  19/01/21  -  16:26

Debate sadio


Tenho notado a volta de cartas de alguns admiradores do presidente Bolsonaro a esta coluna. Achei, confesso, que pelo menos 85% dos eleitores que votaram nesse senhor, já tivessem percebido quem realmente eles elegeram. Percebi também que alguns críticos do presidente, não têm aparecido com a frequência habitual. Será que o sadio debate entre os leitores desta coluna voltará após a vacinação contra a Covid-19?
Josemilton de S. e Silva - Guarujá


Impunidade


Construídas à base de venalidades, a maioria das leis humanas é ineficaz para coibir e punir alguns crimes praticados contra a humanidade. Centenas de milhares de vidas vêm sendo ceifadas por egos exacerbados, indiferença ao próximo, peculato e outros frutos podres, gerados por interesses escusos. As leis são brandas e contornáveis, o sistema é propositadamente falho e a impunidade é o resultado. Todavia ninguém ficará livre do julgamento infalível e da incorruptibilidade das Leis Divinas.
Carlos D. N. da Gama Neto - Santos


ICMS


Sem entrar no mérito da discussão sobre alíquotas e produtos, o que podemos observar sobre a polêmica gerada com a alta de ICMS e fim da isenção de diferentes produtos é a necessidade de uma reforma tributária séria e justa. As revogações publicadas no dia 15, como a que mantém integral a isenção concedida às operações internas com insumos agropecuários, só aconteceram após diversos protestos em cerca de duzentas cidades e processos judiciais. Isso porque as negociações, buscando reverter a alta em alíquotas, já tinham sido iniciadas por representantes do setor de saúde e do agronegócio, por exemplo, ainda em 2020. Revogações por bom senso ou por pressão?
Wagner Fernandes Guardia - São Vicente


Desgoverno


O colapso nos hospitais de Manaus, com a explosão de casos de Covid-19 e a falta de oxigênio, está levando à morte dezenas de pessoas por asfixia. O despreparo e desqualificação funcional do ministro da Saúde e a omissão irresponsável ao combate do coronavírus pelo atual presidente da República são os responsáveis pelas recentes mortes em Manaus e devem responder criminalmente pelas mortes decorrentes desta pandemia. É inadmissível que a monstruosidade deste desgoverno continue impunemente impedindo ou tumultuando as ações de combate à pandemia, divulgando o uso de medicamentos terapêuticos ineficazes e inapropriados à Covid-19, não proporcionando às redes públicas de saúde acesso a equipamentos, insumos, oxigênio e respiradores, como verificados em Manaus e em todo o país. Trata-se de uma política genocida, dolosa e negacionista, contrária ao isolamento social, ao uso de máscaras de proteção, provocando aglomerações públicas e contribuindo para a propagação e disseminação desse vírus.
Marcelo Mattos - Santos


Opção de atendimento


Agradecemos a iniciativa da Unimed Santos de construir um novo local de atendimento médico hospitalar, que funciona 24 horas, em benefício de nossa comunidade. Mas, pedimos que continue autorizando internações e atendimentos na Beneficência Portuguesa de Santos, dando continuidade a esse convênio. Muitos gostam muito da forma humana e do atendimento diferenciado da equipe médica e de enfermagem da Beneficência Portuguesa. Nosso pedido é para continuarmos a ter essa opção.
ONG dos Amigos de Santos


Tudo sobre:
Este artigo é de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a linha editorial e ideológica do Grupo Tribuna. As empresas que formam o Grupo Tribuna não se responsabilizam e nem podem ser responsabilizadas pelos artigos publicados neste espaço.
Ver todos os colunistas
Logo A Tribuna