Brasileirão começa difícil para os paulistas

Dos quatro grandes de São Paulo, três perderam e um empatou. Esperança de título dependerá do poder de reação

Por: Roberto Monteiro  -  31/05/21  -  16:08
 Campeonato nacional é um dos mais difíceis e disputados no mundo do futebol
Campeonato nacional é um dos mais difíceis e disputados no mundo do futebol   Foto: Rafael Ribeiro/CBF

Amigos, o início do Brasileirão foi muito ruim para o futebol paulista, exceção feita ao Bragantino que foi a Chapecó e venceu por 3 a 0. O mesmo placar foi o resultado final do jogo de sábado em Salvador, quando o bom time do Bahia derrubou o Santos em apenas sete minutos iniciais do segundo tempo, aproveitando-se da ainda latente fragilidade técnica santista aliada a incrível convicção tática de Fernando Diniz, que privilegia sempre o futebol ofensivo em detrimento da maior cuidado na saída de bola da sua defesa e excessivos passes laterais que diminuem a objetividade da equipe em campo. Fica muito claro mais um vez que o ano deverá ser difícil para o Santos, apesar de ter se garantido na sequência da Copa Sul-americana, e muito mais para que o seu novo treinador consiga convencer a torcida de que é capaz de reciclar seus pensamentos e adequar o jogo do time de acordo com a qualidade de seu elenco. Um tropeço desses numa estreia já cria dificuldade ainda maior para a sequência de um trabalho que será mesmo muito complicado.


Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!


E quem também já sentiu claramente que terá sérios problemas para arrumar a casa é o estreante Sylvinho, que viu o Corinthians repetir os mesmos defeitos de sempre e foi dominado o tempo todo dentro pelo bom time do Atlético de Goiás. Estreia por estreia, o técnico Eduardo Barroca saiu de campo mais tranquilo com as possibilidades de sua equipe na sequência da competição. Aliás, já no meio de semana o confronto se repete em jogo válido pela Copa do Brasil. Um novo tropeço corintiano pode complicar ainda mais as coisas para o técnico iniciante, que claramente foi contratado por absoluta falta de condição financeira do clube depois das negativas de Renato Gaúcho e Diego Aguirre.


Já no Morumbi, o São Paulo não conseguiu sair de um empate sem gols com o Fluminense, tendo como destaque o goleiro Tiago Volpi que defendeu um pênalti cobrado pelo veterano Nenê e foi a garantia da igualdade no placar. O time campeão paulista deve ser utilizado com sua força máxima o maior número de vezes possível, segundo o técnico Hernan Crespo, lembrando que também terá compromissos pela Copa do Brasil antes do reinício da Libertadores onde poderá ter um confronto difícil dependendo do sorteio nesta semana. Como foi o segundo de seu grupo tem sérios riscos de um confronto nacional, pois no Pote 1 estarão Atlético Mineiro, Palmeiras, Flamengo, Fluminense e Internacional.


E o confronto mais esperado da primeira rodada do Brasileirão acabou sendo favorável ao Flamengo, que venceu novamente ao Palmeiras no Maracanã. Agora já são oito confrontos sem que o Palmeiras supere o time bicampeão brasileiro, tornando ainda mais difícil a caminhada do time que tem elenco altamente qualificado e numeroso e que tem dificuldade terrível diante de adversários do mesmo nível que o impeçam de se utilizar de sua arma mortal que é o contra-ataque. Abel Ferreira tem muita responsabilidade na montagem tática da equipe, sempre se fortalecendo defensivamente e com rapidez na saída de jogo a partir de seu meio-campo. Também deve-se levar em conta o excessivo número de jogos do Palmeiras sempre acumulando competições onde é candidato natural a disputa dos títulos, mesmo que precise mudar a escalação de jogo para jogo.


Resumindo o início do Brasileirão, fica a certeza de que precisaremos de muito poder de reação para a conquista de um título em Dezembro, afinal, tem muitos times de qualidade que buscam o mesmo objetivo, tornando nosso campeonato nacional um dos mais difíceis e disputados no mundo do futebol.


Este artigo é de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a linha editorial e ideológica do Grupo Tribuna. As empresas que formam o Grupo Tribuna não se responsabilizam e nem podem ser responsabilizadas pelos artigos publicados neste espaço.
Logo A Tribuna