Santista fala em cenário 'assustador' com lockdown e coronavírus 'turbinado' na Inglaterra

Nova variante do vírus fez com que governo britânico decretasse novo lockdown.

Por: Alexandre Lopes  -  06/01/21  -  11:22
Atualizado em 06/01/21 - 11:41
Santista está enfrentando um novo lockdown na Inglaterra
Santista está enfrentando um novo lockdown na Inglaterra   Foto: Arquivo Pessoal

Uma brasileira de Santos, que atualmente vive em Londres, relatou, em entrevista ao G1, um cenário 'assustador' e 'preocupante' com o lockdown do País, apesar da campanha de vacinação contra o coronavírus já ter começado.


Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!


Em entrevista para a repórter Isabella Lima, Renata Formoso, de 36 anos, afirmou que o momento é de muita cautela para toda a população. O lockdown, anunciado pelo primeiro-ministro britânico Boris Johnson, tem como objetivo conter uma variante mais contagiosa da doença.


De acordo com ela, houve uma solicitação para que todos os profissionais de saúde ajudem na linha de frente de combate a pandemia, principalmente na UTI, e também na aplicação das vacinas. "Falam que os hospitais estão sofrendo uma pressão 40% maior do que no pico de abril", diz.


"A nossa esperança continua. Acreditamos que, com a vacina, até o meio do ano a vida possa voltar um pouco mais ao normal. Mas não esperávamos que iria chegar a esse alto número de casos da doença como está hoje. É assustador e preocupante", completa.


Por conta da variante do vírus, houve o fechamento imediato das escolas, que migraram para o ensino remoto, de forma integral, até, pelo menos, meados de fevereiro. Atualmente, o número de casos está na casa dos 200 mil novos por semana. "Estamos muito preocupados com essa variante pois ela se espalha muito mais rápido. Espero, do fundo do meu coração, que essa situação não aconteça no Brasil", finaliza.


Tudo sobre:
Este artigo é de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a linha editorial e ideológica do Grupo Tribuna. As empresas que formam o Grupo Tribuna não se responsabilizam e nem podem ser responsabilizadas pelos artigos publicados neste espaço.
Logo A Tribuna