EDIÇÃO DIGITAL

Sábado

19 de Outubro de 2019

47ª Abav Expo bate recorde de público e agita o setor

Sucesso do turismo no Brasil e em nível mundial também é motivo para comemorações

A julgar pelos números divulgados na 47ª Abav Expo Internacional de Turismo e 52° Encontro Comercial Braztoa, eventos realizados de quarta a sexta-feira (25 a 27) no Expo Center Norte, na Capital, a indústria do turismo vai muito bem, obrigado.

Para se ter ideia, até às 17h do último dia do evento, faltando três horas para o encerramento, na sexta-feira (27), já havia sido registrada a participação de 29.416 profissionais ligados ao setor, ultrapassando a estimativa de crescimento de público para a edição 2019, que era de 10% sobre os 23,3 mil visitantes de 2018.

A maior feira de negócios do setor de viagens e turismo da América Latina recebeu 2 mil marcas expositoras e gerou 1.700 empregos diretos e indiretos.

Para coroar o último dia, ainda houve uma iniciativa inédita, a Black Friday de Viagens para o público final, que desde a abertura fez fila para comprar pacotes e serviços turísticos nacionais e internacionais, com descontos de 5 a 50%.

“Nós estamos entregando o maior evento de turismo das Américas, batendo recorde de participações, ocupando todos os espaços do Expo Center Norte”, comemorou a presidente da Abav Nacional e da Abav Expo, Magda Nassar, na coletiva junto do ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antonio, do secretário de Turismo do Estado, Vinicius Lummertz, e do presidente da Braztoa, Roberto Nedelciu.

Além de festejar o sucesso da feira, Magda destacou a importância do turismo para o País, à medida que representou 8,1% do PIB brasileiro, em 2018, faturando em torno R$ 600 bilhões, segundo a Organização Mundial de Turismo (OMT), e gerando 6,9 milhões de empregos, o que equivale a 7,5% dos empregos no Brasil. “Nossa indústria gera 319 milhões de empregos diretos e indiretos. Nós ultrapassamos a indústria automobilística em nível mundial. E nós precisamos falar disso. E, mais do que isso, precisamos de ações e investimentos para continuar crescendo”.

O ministro do Turismo, por sua vez, destacou “que o turismo deve estar no centro das discussões de estados e municípios com o Governo, que está aberto a novas ações, sobretudo no sentido de desburocratizar o setor”.

Já o secretário de estado elencou as recentes medidas no setor aéreo, como a redução de 25% para 12% na alíquota do ICMS nos combustíveis, antiga reivindicação do setor.

Tudo sobre: