Por ciúmes, homem mata esposa a facadas na frente da enteada em São Vicente: 'ouvia vozes'

Filha da vítima contou que o padrasto dizia estar 'ouvindo vozes' de que era traído pela companheira. Caso ocorreu na madrugada desta quinta-feira (17)

O desempregado Fábio Ribeiro Moura, de 36 anos, foi preso em flagrante por matar com diversas facadas no abdômen a sua mulher, a balconista Evanilde Barros da Cruz, de 34. O feminicídio ocorreu na residência do casal, em São Vicente, às 2h desta quinta-feira (17). Filha da vítima e enteada do acusado, uma estudante de 15 anos presenciou o assassinato e correu para não ser atacada pelo padrasto.

Assine A Tribuna agora mesmo por R$ 1,90 e ganhe Globoplay grátis e dezenas de descontos!

A adolescente foi quem ligou para a Polícia Militar. Ela contou que dormia em um quarto com a mãe, quando Fábio entrou no cômodo e tentou asfixiar Evanilde. Na sequência, o homem pegou uma faca e começou a golpear a mulher na barriga. Durante o crime, ainda conforme a estudante, o seu padrasto dizia que “ouvia vozes” lhe dizendo que a vítima o traía. Filha do casal, uma menina de 8 anos dormia em outro quarto e nada presenciou.

A enteada do acusado tentou defender a mãe, mas Fábio ameaçou matá-la e a garota correu do quarto, telefonando para a PM. Quando os policiais chegaram à residência, na Rua Capitão José Meirelles, no Parque Bitaru, Fábio se encontrava no quintal, que fica nos fundos. O acusado estava com as mãos sujas de sangue, sendo apreendida perto dele a faca de cozinha utilizada no crime.

O homem disse aos PMs que, naquele momento, estava “ouvindo vozes” e queria se matar. Os policiais algemaram o acusado e se depararam com Evanilde em estado grave no quarto, acionando o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). A mulher morreu momentos após dar entrada no Hospital Municipal de São Vicente. No outro cômodo, a menina de 8 anos ainda dormia.

O delegado Daniel Pereira de Sousa autuou Fábio em flagrante por homicídio triplamente qualificado, em razão do emprego de recurso que impossibilitou a defesa da vítima, do motivo fútil e do feminicídio. O médico que atendeu a vítima informou a policiais civis que ela chegou ao hospital com múltiplas lesões no abdômen e tórax, falecendo de choque hemorrágico. O homem foi recolhido à cadeia.

Tudo sobre: