Pedreiro atira, mata ex-mulher e tenta se suicidar em Bertioga

Crime ocorreu na terça-feira (25), na Vila Tamoios, em frente a criança de 11 anos; criminoso está em estado grave

Por: Eduardo Velozo Fuccia & Da Redação &  -  26/12/18  -  09:30
  Foto: Reprodução

O ajudante de pedreiro Maurílio Carvalho da Gama, de 62 anos, matou com um tiro no pescoço a ex-mulher e, momentos depois, tentou se suicidar disparando contra a própria cabeça. A tragédia aconteceu na manhã de terça-feira (25), em Bertioga. Ele segue internado em estado grave no hospital da Cidade.


O homicídio de Neuza Alves de Souza Gama, de 57 anos, aconteceu na residência de um guarda civil municipal da Cidade, atual namorado da vítima, onde ela estava desde segunda, em razão de ter sido ameaçada de morte pelo ex-companheiro.


A casa fica na Rua Pires Cubas, na Vila Tamoios. O guarda não estava, porque havia saído para trabalhar. Além da vítima, no imóvel se encontrava a filha do agente público, de apenas 11 anos, que testemunhou o assassinato.


“Maurílio e Neuza estavam em processo de separação. A mulher antecipou a sua saída de casa, indo para a residência do guarda municipal, por causa das ameaças do ajudante de pedreiro”, informou o delegado Fábio Pierry, da Delegacia de Bertioga.


Caso foi registrado na Delegacia Sede de Bertioga
Caso foi registrado na Delegacia Sede de Bertioga   Foto: Reprodução/TV Tribuna

Na manhã de segunda, o acusado escalou um muro de três metros de altura para invadir a casa do guarda e atirou na ex-mulher, que estava na cozinha. Tudo aconteceu na frente da filha do agente público, que nada sofreu. Em seguida, Maurílio fugiu.


A mulher chegou a ser levada ao Hospital Municipal de Bertioga, mas não resistiu aos ferimentos. Informados sobre a autoria do homicídio, policiais militares foram até a casa do ajudante de pedreiro, na Rua João Ramalho, no Jardim Lido.


A porta da moradia estava aberta. O imóvel se encontrava todo revirado e os policiais apreenderam dentro dele sete munições de revólver calibre 32. Em seguida, perceberam que Maurílio correu para um matagal e escutaram um disparo.


Ao ingressarem na mata, os policiais se depararam com o ajudante de pedreiro caído. Ele havia atirado contra a própria cabeça com o revólver calibre 32. O homem foi socorrido ao hospital do município.


Pierry autuou Maurílio em flagrante por homicídio qualificado pelo feminicídio. Por esse motivo, foi providenciada escolta policial para o ajudante de pedreiro, cujo estado clínico é considerado “gravíssimo”, segundo disse o delegado.


Logo A Tribuna