Homem é condenado a 46 anos de prisão por tentar matar policiais

Crimes ocorreram em 1999, na Rodovia Régis Bittencourt, em Registro

Por: Eduardo Velozo Fuccia  -  10/11/18  -  21:58

Uma série de crimes cometida há quase 20 anos teve o seu desfecho na quinta-feira (8), na Justiça Federal em Santos, com a condenação de um homem a 46 anos, quatro meses e 13 dias de reclusão, em regime inicial fechado.


Submetido a júri popular presidido pelo juiz federal Roberto Lemos dos Santos Filho, Jerri Adriani Santos de Jesus foi condenado por tentar matar a tiros dois policiais rodoviários federais e um policial civil, além de roubar um carro.


Segundo o Ministério Público Federal (MPF), as tentativas de homicídio foram qualificadas pelo fato de o réu ter agido para assegurar a impunidade de crimes anteriores.


A pena poderia ter sido maior. Os jurados absolveram o réu por outra tentativa de homicídio contra um policial civil. Além disso, apesar de ser condenado por uso de documento público falso, ele teve reconhecida extinta a sua punibilidade pela prescrição.


Criminosos viajavam pela Régis com carro roubado quando foram parados pela PRF
Criminosos viajavam pela Régis com carro roubado quando foram parados pela PRF   Foto: Divulgação/PRF

Entenda o caso


Os crimes ocorreram no dia 22 de julho de 1999, no Vale do Ribeira. Jerri Adriani e outro homem portavam documentos falsificados e viajavam pela Rodovia Régis Bittencourt (BR-116) em um Voyage produto de roubo.


No posto de fiscalização da Polícia Rodoviária Federal localizado no km 439, em Registro, foi solicitada a parada do carro. Enquanto o acompanhante do réu foi ao posto, Jerri Adriani permaneceu no veículo. Momentos depois, diante da descoberta da origem criminosa do Voyage, o acusado baleou com uma pistola calibre 380 dois policiais rodoviários federais para não ser preso.


Jerri Adriani fugiu a pé em seguida. Mais tarde, usou a pistola para tomar de assalto uma Saveiro e tentar fugir com ela pela BR-116 na pista sentido Paraná. Porém, na mesma data, foi preso por dois policiais civis, contra os quais disparou, mas sem atingi-los.


Os tiros foram revidados pelos policiais civis, que prenderam o réu no acostamento da BR-116, sem feri-lo. O confronto ocorreu logo após Jerri Adriani desobedecer a ordem de parada no posto policial situado no km 554 e abandonar a Saveiro.


Logo A Tribuna