EDIÇÃO DIGITAL

Quinta-feira

9 de Julho de 2020

Ex-detento leva um tiro em cada pé e escapa do tribunal do crime em Santos

O atentado aconteceu quinta-feira (28) à tarde no Monte Cabrão. Homem conseguiu fugir após entrar em luta com criminoso e ser baleado

Um ex-presidiário levou um tiro em cada pé antes do início de sessão do tribunal do crime do Primeiro Comando da Capital (PCC). Ao pressentir que seria levado para um cativeiro para ser submetido ao julgamento informal da facção criminosa, ele reagiu e foi baleado. O atentado aconteceu quinta-feira (28) à tarde no Monte Cabrão, comunidade da área continental santista localizada às margens da Rodovia Rio-Santos.

Com 40 anos de idade, A. M. foi socorrido por uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e levado ao Hospital Santo Amaro, em Guarujá. De acordo com a vítima, um homem a rendeu sob a ameaça de pistola, conduzindo-a até um barraco aparentemente abandonado. Posteriormente, chegaram ao cativeiro dois integrantes do PCC e decidiram transferir o ex-detento de carro para outro lugar.

No momento em que era levado de um cativeiro para o outro, A. M. entrou em luta com um dos três criminosos, sendo baleado nos pés. Acionados para verificar a tentativa de homicídio, policiais militares chegaram ao Monte Cabrão no momento em que o Samu atendia a vítima. Ela foi encontrada sozinha dentro de um Fiat Palio preto, que não registra queixa de furto ou roubo.
No início da tarde desta sexta-feira, o dono do carro compareceu à Delegacia de Bertioga. Ele disse que realiza “corridas” de modo informal, mediante solicitação por meio de telefonema. Ainda conforme o motorista, ele recebeu a ligação em seu celular de um homem que já havia transportado. O passageiro pediu para o proprietário do Palio encontrá-lo no final da Rua São Gonçalo, na Vista Linda, em Bertioga.

No endereço indicado, embarcaram o solicitante da corrida e mais dois homens, entre os quais a vítima. O motorista disse ficou combinado de levá-los até a Favela do Caixão, em Vicente de Carvalho, pela quantia de R$ 80,00. Porém, durante o trajeto, aconteceram os disparos. O dono do Palio alegou que, após os tiros, foi obrigado a abandonar o carro no Monte Cabrão e fugir a pé. A Polícia Civil investiga a sua versão. 

Tudo sobre: