EDIÇÃO DIGITAL

Sábado

19 de Outubro de 2019

Economista avalia com otimismo geração de empregos temporários neste fim de ano na região

Apesar do aumento de vagas de emprego, consolidação de melhoria no cenário só deve ocorrer entre janeiro e fevereiro de 2020

A época de festas de fim de ano é marcada pela maior oferta de vagas de empregos temporários. Na Baixada Santista, a expectativa de aumento no número de vagas varia entre 10% e 15% em comparação ao mesmo período no ano passado.

Com o aumento da circulação de clientes e demanda de determinados setores, lojas de todos os segmentos, especialmente to setor varejista, costumam aumentar as contratações nos últimos meses do ano.

A economista Karla Andreia Simionato avalia a situação com otimismo, e explica que a tendência é nacional. “A gente tem uma expectativa de uma geração de emprego maior em 2019 por conta de como a economia nacional está evoluindo”, considera.

No fim do ano, o brasileiro tende a gastar mais por conta das festividades, e um dos fatores que contribui diretamente para isto é o recebimento da segunda parcela do 13º salário entre os meses de novembro e dezembro. “O aumento do poder aquisitivo do brasileiro nesta época faz com que ele possa gastar mais”.

Em virtude disso, a economista ressalta que a demanda por mais funcionários trabalhando nas lojas do comércio varejista também aumenta, a fim de atender a todos os clientes. As chances de efetivação destes funcionários costuma ser boa, ainda segundo a especialista. “As lojas contratam mais pessoas nessa época e, claro, aquelas que têm um desempenho melhor acabam sendo efetivadas. Isso a gente observa ao longo dos anos”.

O crescimento sazonal é esperado todos os anos, mas o ideal para verificar se realmente houve impacto positivo na economia é observar o período entre janeiro e fevereiro, época considerada ‘normal’, sem interferência da sazonalidade.

“Independentemente da situação das famílias e de como estejam os gastos delas nesse período, se esses gastos aumentam, isso vai gerar mais empregos pelo menos para o período. Para consolidação, é preciso esperar meados de janeiro e fevereiro. A sazonalidade é menor e os gastos das famílias são bem menores, são só para alguns setores bem específicos”, finaliza.

Dados do Caged indicam baixa nos empregos formais

No âmbito nacional, houve a criação de 408 mil vagas de trabalho com carteira assinada só no primeiro semestre deste ano, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). Apesar do resultado ser o melhor desde 2014, a alta ainda não é suficiente para suprir a demanda criada pelo número de desempregados no país.

Tudo sobre: