Logo A Tribuna
ASSINE
Icone usuario ENTRAR
CLUBE IMPRESSO ACERVO ASSINANTE

Após traição e bloqueio nas redes sociais, jovem usa PIX para pedir perdão a ex-namorado

Garota realizou diversas transferências de R$ 0,01 para mandar mensagem

Por: Por ATribuna.com.br  -  06/01/21  -  15:10
Conta de pessoa física pode ter até 5 chaves. Na jurídica são 20
Conta de pessoa física pode ter até 5 chaves. Na jurídica são 20   Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

A adoção do Pix, novo sistema de transferência bancária, sinaliza revolucionar a forma de “investir” numa relação amorosa. O relato de um término traumático de um namoro e o uso do modelo para “chamar a atenção” do ex ganhou força nas redes sociais.


Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!


A história foi compartilhada no perfil de Matheus Siqueira, 21 anos. Ele conta que seu primo teria descoberto uma infidelidade de uma garota com o qual tinha uma relação amorosa. Ao romper com a namorada, o rapaz bloqueou os contados dela das redes sociais a fim de evitar conversar com a jovem.


Para chamar a atenção do companheiro, ela passou a fazer transferências R$ 0,01, com recados de pedidos de desculpas. Na publicação, o internauta pedia ajuda aos seus seguidores para saber se é possível bloquear alguém no Pix.


Isso foi possível porque o sistema de transferência bancária pode ser usado com o número do telefone celular ou de um documento pessoal como chave de acesso (em detrimento a dados bancários, como agência e número de conta corrente).


Tem como?


Segundo o Banco Central (BC), o sistema de pagamentos instantâneos não possui a opção de bloqueio de pagadores específicos por parte dos usuários.


“O que o usuário pode fazer é configurar o aplicativo da instituição na qual mantém a conta para não receber a notificação do pagamento. Mas o pagamento em si não é bloqueável de regra”, informa, por nota, o BC.


Conforme a que disciplina o funcionamento do Pix, a possibilidade de bloqueio de uma conta ocorre apenas por parte das instituições financeiras e de pagamentos participantes do novo sistema em caso de fraude.


Caso haja excedência do tempo máximo de autorização da iniciação de transação, problemas de autenticação do usuário pagador ou suspeita de fraude ou infração à regulação de prevenção à lavagem de dinheiro, entre outros, a regulação do Pix permite a rejeição da transação por parte da instituição participante.


O BC também não permite o bloqueio de pagadores específicos pelos usuários no caso de transferências feitas por meio de TED ou DOC, ressalvada novamente a possibilidade de fraude.


Logo A Tribuna