Crespo estreia no São Paulo com empate contra o Botafogo pelo Paulistão

Tricolor saiu atrás do marcador, mas conseguiu o empate. Gols aconteceram todos no segundo tempo

Por: Do Estadão Conteúdo  -  01/03/21  -  01:29
Atualizado em 01/03/21 - 01:37
Estreia do Tricolor no Paulistão foi marcada pelo início de trabalho de Hernán Crespo
Estreia do Tricolor no Paulistão foi marcada pelo início de trabalho de Hernán Crespo   Foto: Rubens Chiri/saopaulofc.net

A trajetória do técnico argentino Hernán Crespo no São Paulo começou com um empate no estádio do Morumbi. A equipe teve 78% de posse de bola e pressionou até o fim, mas não conseguiu transformar o domínio em vitória e ficou no 1 a 1 com o Botafogo, de Ribeirão Preto (SP), neste domingo, na estreia do Campeonato Paulista.


Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!


A primeira formação escolhida por Crespo foi o 3-5-2, esquema que era utilizado pelo treinador no Defensa y Justicia, da Argentina, campeão da Copa Sul-Americana. Com três zagueiros, o argentino optou por um meio de campo mais leve, sem um volante de marcação, para sair com qualidade. Daniel Alves, Gabriel Sara e Igor Gomes eram os responsáveis por levar o time ao ataque.


A equipe tinha posse de bola e trocava passes, mas, com pouca movimentação dos jogadores, encontrava dificuldade para furar o bloqueio defensivo do Botafogo-SP. A intenção do técnico Alexandre Gallo era se defender e aproveitar o contra-ataque com Marlon, que se posicionava aberto pelo lado direito e era o único jogador que não participava da marcação.


O jeito para assustar o adversário foi arriscar de fora da área. Reinaldo quase abriu o placar, aos 10 minutos. A bola passou pelo goleiro Igor e parou na trave. Mais adiantado, atuando como ala na formação com três zagueiros, o camisa 6 teve mais uma chance, aos 16, ao pegar uma sobra da defesa e chutar na rede, só que pelo lado de fora.


Preocupado na beira do gramado pela pouca produção ofensiva, Crespo conversava com alguns jogadores, como Daniel Alves e Igor Gomes. O São Paulo ostentava 72% de posse de bola, mas não conseguia criar nenhuma chance em jogada trabalhada. A melhor oportunidade do primeiro tempo caiu no pé de Luciano, aos 39 minutos, em bola sobrada na pequena área. O atacante mandou sobre o travessão e perdeu gol incrível.


A estratégia do Botafogo-SP deu resultado logo aos dois minutos do segundo tempo. Marlon, aberto pela direita, recebeu longo lançamento de Fabão, driblou Léo e cruzou de pé esquerdo para Dudu, que entrou no intervalo, tocar de leve, superando o goleiro Tiago Volpi.


Após o gol, o jogo se tornou definitivamente ataque contra defesa. O Botafogo-SP recuou ainda mais, ficando com todos os jogadores posicionados da intermediária para trás. Sem muita alternativa, o São Paulo passou a arriscar levantamentos na área. E foi assim que chegou ao empate, aos 30 minutos. Daniel Alves recebeu na esquerda e cruzou, Pablo ajeitou e Arboleda apareceu livre para marcar de cabeça.


O São Paulo ainda chegou ao segundo gol com Pablo, aos 42 minutos, mas o lance foi anulado após consulta ao árbitro de vídeo. Salim Fende Chávez apontou impedimento de Daniel Alves na origem da jogada, com orientação de Raphael Claus na cabine do VAR. A equipe ainda criou outras chances nos minutos finais, inclusive com uma bola na trave de Galeano, mas não conseguiu virar o placar.


Logo A Tribuna