Logo A Tribuna
ASSINE
Icone usuario ENTRAR
CLUBE IMPRESSO ACERVO ASSINANTE

Concentração de 'Big Brother’ e torcedores lado a lado marcam últimas horas do Santos antes da final

Torcida circula pelos arredores do hotel e vivem expectativa da grande final deste sábado no Maracanã

Por: Alexandre Lopes & Fúlvio Feola &  -  30/01/21  -  00:03
Torcedores do Santos fazem selfie com o técnico Cuca no hotel onde está o elenco no Rio
Torcedores do Santos fazem selfie com o técnico Cuca no hotel onde está o elenco no Rio   Foto: Vanessa Rodrigues/AT

A Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, virou ponto de encontro dos torcedores do Santos nos últimos três dias. Com a delegação do Peixe hospedada em um luxuoso hotel no bairro carioca, a rotina em uma das áreas mais badaladas do município foi bastante alterada para receber o elenco que, neste sábado (30), pode se sagrar tetracampeão da Libertadores da América caso supere o Palmeiras, no Maracanã, a partir das 17h.


Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!


A equipe de ATribuna.com.br chegou ao hotel no fim da tarde desta sexta-feira (29). De cara, é possível notar que a estrutura foi completamente alterada para receber a equipe da Vila Belmiro. Dezenas de torcedores, devidamente uniformizados e, inclusive, cobertos com bandeiras com o escudo do clube, circulam pelas áreas comuns do local tentando passar o tempo e contando os minutos para o início da decisão e para o possível título.


Inspiração não vai faltar. Desde que chegaram ao hotel reservado pela Conmebol, na última quarta-feira (27), os jogadores do Peixe dividem espaço com uma paisagem de tirar o fôlego. Sentir a orla carioca, porém, se resume apenas a pequenas espiadas pelas janelas dos quartos, já que a concentração é total e, nas últimas 72 horas, a equipe foi completamente proibida de sair do hotel, com exceção dos compromissos oficiais como, por exemplo, os treinamentos.


Dentro do hotel, o elenco do Santos é tratado com uma estrutura digna dos principais astros hollywoodianos. No total, a delegação é formada por mais de 100 pessoas, divididas em dois andares diferentes, o sétimo e o oitavo, que foram completamente bloqueados para evitar assédio. Caso algum hóspede tente acessar os pavimentos alvinegros, provavelmente acabará dando de cara com alguns dos vários seguranças levados ao Rio de Janeiro.


Os únicos momentos nos quais é possível ter algum tipo de contato com os jogadores é quando eles entram ou saem do hotel para os treinamentos. Mesmo nas refeições, como café da manhã, almoço e jantar, os santistas acabam ficando isolados em uma área que também foi adaptada para que eles fiquem mais à vontade e, principalmente, para que não tenham contato com outras pessoas e corram risco de contaminação em tempos de pandemia.


Muitos torcedores do Peixe estão hospedados em hotel da Barra da Tijuca
Muitos torcedores do Peixe estão hospedados em hotel da Barra da Tijuca   Foto: Vanessa Rodrigues/AT

Nesses raros momentos, porém, os torcedores conseguem passar força e mensagens positivas para o elenco. Enquanto alguns estarão no Maracanã como convidados, outros decidiram se hospedar no mesmo hotel para ficar perto dos jogadores. “É o clube que eu amo, que gerações da minha família amam. Vim com meu filho de 15 anos e esse ambiente ficará para sempre na memória dele. Foi uma viagem conturbada, mas chegamos bem e estamos confiantes na vitória. Com a união e com o comprometimento que esses jogadores possuem, a taça vai para a Vila Belmiro. O jogo será 2 a 0, com gols de Marinho e Soteldo”, afirma o investigador de polícia de Santos Nivaldo Ribeiro, de 54 anos.


O gerente comercial Magno Vasconcelos, de 34 anos, é outro que não foi convidado para acompanhar a partida, mas resolveu se hospedar no mesmo hotel para viver o dia a dia dos jogadores. “Quis sentir a emoção e esse clima. Para o Santos, essa decisão tem uma dimensão gigantesca. Vamos voltar para um cenário de onde nunca deveríamos ter saído. A gente sente a garra dos jogadores e o que o Cuca fez com o elenco. Infelizmente, não estarei no jogo, já que a pandemia atrapalhou os planos dos torcedores. Mas ela não tirou a emoção de ficar empolgado em assistir”, afirma.


A situação do empresário Wagner Junior, porém, é diferente. Ele foi convidado, por meio de patrocinadores, para acompanhar a decisão no Maracanã. “Essa partida não tem nem explicação. Vou guardar a vida inteira, ainda mais pelo momento que a gente vive. É algo raríssimo. Estou acostumado a ir aos jogos com muita torcida, estádio lotado. Agora será diferente. Não tem preço, não tem valor para mensurar como isso é importante. Estou carregando cada um dos meus amigos torcedores para esse momento. Eu acho até injusto. Eu não mereço tanta contemplação. Mas vou carregar todos os santistas comigo. O Santos vai ganhar por 2 a 1”, finaliza.


Para garantir a segurança e o sono de toda a comissão técnica do Santos, e também dos torcedores e demais hóspedes no hotel, várias viaturas foram colocadas, na noite desta sexta-feira, na porta de entrada do local. A ação visa coibir uma das práticas mais comuns em noites que antecedem partidas decisivas: a queima de fogos da madrugada, que tem como objetivo acordar os jogadores.


Segurança no entorno do hotel foi reforçado para a grande final da Libertadores
Segurança no entorno do hotel foi reforçado para a grande final da Libertadores   Foto: Vanessa Rodrigues/AT

Logo A Tribuna