Semana Lixo Zero 2020 começa nesta sexta-feira

O objetivo é conscientizar as pessoas e disseminar informações para reduzir geração de lixo

A Semana Lixo Zero 2020, teve início nesta sexta-feira (23) e vai até o dia 1º de novembro. O evento tem como objetivo estimular diversas atividades realizadas pela comunidade da Baixada Santista. No decorrer da Semana o Santos Lixo Zero convida grupos para organizarem eventos como fóruns de discussão, palestras, oficinas, campanhas de coleta de óleo, eletrônicos, brinquedos, roupas, mostra de trabalhos, entre dezenas de ações voltadas à prática do lixo zero. O evento conta com patrocínio da SPA - Santos Port Authority.

Clique aqui e assine A Tribuna por apenas R$ 1,90. Ganhe, na hora, acesso completo ao nosso Portal, dois meses de Globoplay grátis e, também, dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!

Os eventos são gratuitos e autogeridos pelos próprios organizadores. O cronograma pode ser conferido por meio deste documento (clique aqui).

“Nosso papel é estimular toda essa movimentação, provocar novas atitudes e motivar pessoas de diversos segmentos da sociedade a internalizarem a ideia de reduzir a geração de lixo e encaminhar seus resíduos corretamente”, ressalta André Tomé embaixador do Instituto Lixo Zero Brasil, presidente do Santos Lixo Zero e titular do Conselho Municipal dos Usuários dos Serviços Públicos (COMUS), no eixo sustentabilidade.

“Contudo, podemos apoiar disponibilizando palestrantes, sugerindo ideias de temas que podem ser debatidos e até mesmo orientando trabalhos. É urgente a discussão sobre o consumo desenfreado e a responsabilidade sobre os resíduos decorrentes, porque o lixo tem sido cada vez mais danoso para a biodiversidade”, detalha André.

Preocupação

A Semana Lixo Zero acontece num momento de preocupação que a região vive em relação ao lixo, com um projeto de incineração de resíduos no Sítio das Neves, na Área Continental de Santos.

“Esse projeto foge totalmente aos propósitos de uma gestão eficiente de resíduos. Estudos comprovam aumento de diversos problemas de saúde entre pessoas que moram nas proximidades dessas usinas”, adverte André Tomé.

De acordo com ele, a implantação dessa estrutura leva ao comprometimento das finanças públicas e fere a Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei 12.305/10), que prioriza a redução na geração de resíduos, tendo como proposta a prática de hábitos de consumo responsável, medidas de incentivo ao reuso, valorização da fração orgânica, através da compostagem e da biodigestão, um aumento efetivo da reciclagem, através de incentivos fiscais, e a contribuição das empresas através da logística reversa.

Tudo sobre: