São Vicente libera passagem de caminhões com 2 eixos na ponte A Tribuna

Liberação foi realizada após divulgação do novo laudo do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT)

Por: Da Redação  -  19/01/19  -  18:26
Laudo do IPT libera o tráfego pesado, mas recomenda reparos na ponte
Laudo do IPT libera o tráfego pesado, mas recomenda reparos na ponte "A Tribuna", em São Vicente   Foto: Vanessa Rodrigues/AT

Caminhões de dois eixos estão liberados para passar sobre a ponte A Tribuna, conhecida também como Ponte dos Barreiros. A decisão da Prefeitura de São Vicente foi tomada na última sexta-feira (18), depois que o Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) divulgou um novo laudo sobre o local. O documento, entretanto, avisa que a estrutura do lugar precisa ser reforçada.


O estudo feito pelos técnicos do IPT orienta a Prefeitura a recuperar as vigas de sustentação da ponte em, no máximo, seis meses. Até o fim das obras, carros, ônibus, motos, pedestres e caminhões com até dois eixos poderão trafegar pelo local.


“O governo municipal, de posse desse relatório, estará, já na segunda-feira (21), protocolando, junto ao governo estadual, o pedido de uma recuperação o mais rápido possível. Observando atender o recomendado pelo IPT de, no máximo, seis meses”, disse o secretário de Trânsito e Transportes, Alexandre Almeida, em entrevista à TV Tribuna.


Entenda o caso


Caminhões mais pesados (com mais de dois eixos) e carretas não devem usar a ponte para não causar mais danos à estrutura. De acordo com o laudo, “há fissuras e perda de seção de concreto do interior das estacas, além de presença de armadura exposta e corroída”.


A proibição de caminhões pesados já valia antes de 24 de dezembro do ano passado, quando a Prefeitura ampliou a restrição com base em um estudo preliminar do IPT. Naquela data, uma faixa foi colocada em uma das cabeceiras da ponte avisando sobre a proibição. Mesmo assim, nesse período, foram aplicadas cerca de 200 multas, segundo a Prefeitura, a caminhoneiros que desrespeitaram a recomendação.


De acordo com a Secretaria de Trânsito e Transportes, a fiscalização continuará a ser feita no local. A liberação agradou os caminhoneiros, que chegaram a ameaçar bloquear totalmente a passagem como forma de protesto. O lugar é considerado estratégico, porque liga o centro à área continental de São Vicente.


“Mais ou menos 70% da nossa categoria é de caminhão toco (2 eixos). Essa liberação ajuda muito, porque encurta nosso caminho. Depois que a obra ficar pronta, vamos pleitear que caminhões mais pesados também passem por lá, porque vai facilitar para quem trabalha levando carga”, avaliou o caminhoneiro Márcio de França, representante da categoria.


Logo A Tribuna