Santa Casa aceita adiamento da desocupação da Etec Escolástica Rosa

Pelo acordo, Centro Paula Souza será responsável por qualquer ocorrência no prédio até 31 de dezembro

Por: Da Redação  -  30/11/18  -  10:54
Estruturas da unidade têm infiltrações, paredes descascadas e áreas interditadas pela Defesa Civil
Estruturas da unidade têm infiltrações, paredes descascadas e áreas interditadas pela Defesa Civil   Foto: Vanessa Rodrigues/AT

A Santa Casa de Santos concordou em estender até 31 de dezembro o prazo para desocupação do prédio onde está instalada a Escola Técnica Estadual (Etec) Escolástica Rosa, na Aparecida. Dessa forma, o ano letivo dos alunos pode terminar conforme o cronograma normal, em 18 de dezembro.


A medida segue o parecer do Ministério Público do Trabalho, que também havia concordado em prorrogar o prazo, pois não há, neste momento, risco de colapso do edifício. A desocupação estava prevista para este sábado (1º), o que colocaria em risco o término das atividades escolares.


A questão relativa à Escolástica Rosa vem sendo discutida há semanas por causa da condição geral do imóvel, que precisa de ampla reforma e está se deteriorando, conforme vistoria da Defesa Civil. As obras cabem à locatária do prédio, o Centro Paula Souza, que mantém a escola.


A decisão sobre a prorrogação foi tomada na quinta-feuira (29) após reunião entre os envolvidos: a Santa Casa de Santos, proprietária do imóvel, o Centro Paula Souza, o Ministério Público do Trabalho e a vereadora Audrey Kleys (PP), que acompanha o caso.


A Santa Casa acolheu o pedido, mas impôs uma condição, segundo apurado por A Tribuna: qualquer episódio referente ao imóvel neste período até dia 31 de dezembro será de responsabilidade do Centro Paula Souza. A partir de 1º de janeiro, com a rescisão do contrato e a desocupação, o hospital iniciará vistoria e projeto de recuperação.


Logo A Tribuna