Moradores de Santos relatam 'indignação' por não terem sido testados para covid após horas na fila

Com tosse e mal-estar, eles foram ao centro de testagem, mas não foram atendidos. PM e GCM foram acionadas

Por: Daniel Gois  -  12/01/22  -  20:04
Segundo a Prefeitura de Santos, foi preciso limitar o número de senhas distribuídas
Segundo a Prefeitura de Santos, foi preciso limitar o número de senhas distribuídas   Foto: Arquivo pessoal/Juliana Marcello

O atendimento no centro de testagem a pessoas com síndromes gripais de Santos, localizado na Rua Comendador Alfaia Rodrigues, no bairro Aparecida, foi marcado por uma confusão na tarde desta quarta-feira (12). Devido a não distribuição de senhas, algumas pessoas que estavam na fila não foram atendidas. A Polícia Militar e a Guarda Civil Municipal foram acionadas.


Clique, assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe centenas de benefícios!


A jornalista Juliana Raphaela Christo Marcello, de 30 anos, moradora da Ponta da Praia, foi ao local após apresentar dor no corpo, dor de garganta, tosse seca e nariz entupido. Ela afirma que chegou no centro de testagem por volta de 14h20 e entrou na fila. Ela só foi informada sobre a distribuição de senhas próximo das 15h, horário em que se encerra o atendimento.


"Minha indignação é essa falta de informação. Me sinto impotente. Sei que está caótica a situação, que tem muita gente com sintomas, mas exatamente por isso que as informações devem ser verdadeiras e corretas", desabafa, em conversa com A Tribuna.


A aposentada Regina de Campos Macedo, de 57 anos, moradora do Gonzaga, também esteve no centro de atendimento nesta quarta (12), depois de apresentar sintomas de tosse, dor de cabeça, mal-estar e febre. Ela relata que não foi atendida e que não havia sido informada previamente sobre a distribuição de senhas.


"Todo mundo ficou muito chateado. Não fomos atendidos. Estávamos simplesmente pedindo para sermos atendidos. A gente queria testar para ver se estava positivo. Era a vontade de todos que estavam ali", lamenta.


Polícia Militar foi acionada após confusão em centro de testagem de Santos
Polícia Militar foi acionada após confusão em centro de testagem de Santos   Foto: Arquivo pessoal/Juliana Marcello

Resposta

Em nota, a Secretaria de Saúde de Santos disse que precisou limitar o número de senhas distribuídas por volta das 15h porque outras 50 pessoas esperavam pelo atendimento médico, que é realizado diariamente até 16h30.


Segundo a Prefeitura, os pacientes foram orientados a procurar o centro de triagem da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Zona Leste, localizado na Praça Visconde de Ouro Preto, no Estuário, com funcionamento durante 24h.


A nota também cita como opções os centros de triagem da UPA Central (Rua Joaquim Távora, 260, Vila Mathias) e da UPA Zona Noroeste (Ginásio Nobregão, na Avenida Jovino de Melo com a Rua João Fraccaroli).


A secretaria destaca que o centro de atendimento às síndromes gripais, montado no Clube Atlético Santa Cecília, tem como meta atender moradores da orla de Santos, dos bairros Ponta da Praia, Aparecida, Embaré, Gonzaga, Pompéia/José Menino e Campo Grande.


O objetivo é desafogar o atendimento nas policlínicas desta região, diante da alta demanda. O atendimento acontece de segunda a sexta, das 8h às 15h.


Logo A Tribuna