EDIÇÃO DIGITAL

Sábado

17 de Agosto de 2019

Hospital dos Estivadores terá cirurgia vascular pelo SUS em Santos

Complexo hospitalar se tornará referência na especialidade pelo Sistema Único de Saúde, em substituição ao Hospital Santo Amaro, em Guarujá

O Hospital dos Estivadores, em Santos, passará a ser referência em cirurgia vascular na Baixada Santista até o final do ano. Isso quer dizer que ele receberá a demanda de todos os pacientes da região nessa especialidade pelo Sistema Único de Saúde (SUS).  

Hoje, a unidade referência na área é o Hospital Santo Amaro (HSA), em Guarujá. Porém, a direção do HSA pediu oficialmente descredenciamento ao Departamento Regional de Saúde da Baixada Santista (DRS-4), que faz a gestão das verbas encaminhadas pelo Governo Federal. A decisão foi motivada pelo repasse financeiro, considerado irrisório e que não cobre o custo do serviço.  

Desde 2006, o HSA recebe, segunda a direção do hospital, R$ 9,7 mil por mês do Ministério da Saúde para as cirurgias vasculares. A média de gasto por paciente é de R$ 9,9 mil. Ou seja, um paciente por mês já dá prejuízo para a instituição. A Santa Casa de Santos dispensou proposta para oferecer o serviço justamente por isso.  

“Apesar do nosso pedido de descredenciamento, ainda não houve por parte do DRS-4 nenhuma decisão no sentido de nos isentar dessa responsabilidade. Seguimos buscando uma solução para esse problema que aflige a população da Baixada. Ou somos remunerados adequadamente ou seguiremos com o nosso pedido”, diz o diretor-presidente do HSA, Urbano Bahamonde Manso, que não descarta entrar na Justiça para fazer valer a decisão.  

Etapas  

A diretora do DRS-4, Paula Covas Borges Calipo, pondera que não pode descredenciar o Santo Amaro antes que o Estivadores esteja atendendo. Além do suporte à população, ela explica que se não houver serviço habilitado a região perde a verba federal, ainda que seja pequena.  

“O Estivadores tem um suporte de verba estadual, mas ainda assim não será suficiente para atender a demanda regional. O DRS está em busca de mais um local para essa especialidade”, diz Paula.  

O secretário de Saúde de Santos, Fábio Ferraz, afirma que, no último acordo com o Governo Estadual para repasse de verbas de ampliação do atendimento no Estivadores, ficou estabelecido que a unidade passaria a fazer cirurgias vasculares.  

Segundo ele, a unidade se tornando referência receberá R$ 44 mil mensais também do Ministério da Saúde. “Acreditamos na realização de 34 cirurgias de média complexidade por mês, a maioria vascular. Vamos começar em agosto com o dinheiro estadual e em três meses devemos estar habilitados também em nível federal”.