EDIÇÃO DIGITAL

Sexta-feira

22 de Novembro de 2019

Especialista diz que marketing deve integrar mídias

Em entrevista, Marcel Moraes conta que ao notar que os encontros eram todos fora da Cidade, resolveu trazer a visão do mercado nacional à região

O marketing digital está em todas as plataformas, se renova a todo instante e, cada vez mais, é alvo do interesse de empresários e empreendedores. Para aproximar o público desse conteúdo e direcionar caminhos, ocorreu, na sexta-feira (18), a terceira edição do Santos Digital Day, que recebeu referências do mercado e mais de 300 espectadores na Faculdade São Judas, em Santos.  

O publicitário e idealizador do evento, Marcel Moraes, começou a trabalhar com marketing digital em 2015. Ao notar que os encontros eram todos fora da Cidade, resolveu trazer a visão do mercado nacional à região.  

Apesar de a essência serem ações nas mídias digitais, Moraes ressaltou que o marketing digital, “na verdade, é um meio digital de fazer marketing”. “Lógico que o celular faz parte da nossa vida, mas, durante a jornada do dia a dia, você é impactado, seja com busdoor, outdoor ou programas no rádio”, orientou. 

Todo mundo vê TV 

O mercado multiplataforma e integrado, mencionado por Moraes, é defendido pelo analista de Desenvolvimento das Afiliadas da Rede Globo, Bernardo Tadeu. No evento, ele disse como a TV tem se reinventado para potencializar campanhas no meio digital e como está se integrando à internet.  

Tadeu ressalta que, para isso, são pontos fundamentais a leitura e o entendimento sobre quem é o espectador de cada veículo e de cada conteúdo. “A maneira como me comunico com o público na TV deve ser adaptada quando migro para o digital. Isso precisa amadurecer.”  

O analista informou que as emissoras têm trabalhado mais com vídeos sob demanda. “Tenho acompanhando a jornada do consumidor, que não consegue assistir a uma programação linear porque tem afazeres, emprego... Mas, quando está na casa dele, pode voltar e consumir os conteúdos na plataforma digital. Esse conteúdo, porém, não pode estar lá de qualquer maneira. É preciso entrega-lo de forma atrativa.”  

Sobre a dificuldade de encaminhar público de um veículo a outro, gerando integração, Tadeu citou que os programas de TV precisam fazer conexão com a internet, e o contrário também.  

“É muito bacana quando a Globo faz lançamento de série ou programa novo e estimula que o conteúdo seja consumido primeiro no Globoplay (plataforma de vídeos). É um mecanismo para começar a acostumar o consumidor”, declarou o analista. 

Tudo sobre: