Árvore cai sobre prédio em Santos após rajadas de até 76 km/h

Janelas do segundo andar do edifício foram 'invadidas' por galhos; tempo deve permanecer ruim na região

Por: De A Tribuna On-line  -  19/11/18  -  13:05
Árvore tombou no domingo (18) após não surportar rajadas
Árvore tombou no domingo (18) após não surportar rajadas   Foto: Leonardo Francisco/Arquivo Pessoal

Moradores de um edifício na Rua da Liberdade, no bairro do Embaré, em Santos, levaram um susto na manhã desta segunda-feira (19). Uma árvore de pelo menos 10 metros de altura não suportou a ventania registrada na região entre a noite de domingo (18) e esta madrugada, que chegaram a quase 80 km/h, e tombou parcialmente em direção ao prédio.


Na imagem (acima), é possível ver que apartamentos do segundo andar do imóvel tiveram suas janelas praticamente 'invadidas' pelos galhos da planta.


A Prefeitura de Santos informou por meio de nota que uma equipe da Coordenadoria de Paisagismo (Copaisa) foi enviada ao local para fazer a retirada da árvore, ainda pela manhã. Segundo informa a nota, a árvore foi cortada e retirada do local. Para o trabalho, foi necessário desligar a rede de energia temporariamente. A situação já está regularizada e não há mais nenhum risco de novos incidentes.


A ventania provocou outras ocorrências, como a queda de galho de árvore na Rua Isidoro José Ribeiro de Campos, na Ponta da Praia, e na Rua Julio Conceição com Manoel Dias Marcelino, na Vila Matias.


Galho caiu em cruzamento das ruas Júlio Conceição com Manoel Dias Marcelino
Galho caiu em cruzamento das ruas Júlio Conceição com Manoel Dias Marcelino   Foto: Bruno Lima/AT

Picos de ventania


Desde o final de semana, os institutos de meteorologia previam uma piora no tempo nas cidades da Baixada Santista. O Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Cptec/Inpe) chegou a emitir alerta para a região, projetando chuva forte, descargas elétricas e rajadas de vento de forte intensidade. Neste domingo (18), a possibilidade de ocorrência de ventos fortes, de até 60km/h, ainda havia sido confirmada pela Marinha.


De acordo com Rodolfo Bonafim, diretor científico da Ong Amigos da Água: os picos de ventania entre a noite de domingo e a manhã desta segunda foram de 76 km/h no Boqueirão em Santos, de 69 km/h na praia de Pitangueiras, em Guarujá, e de 52 km/h na Vila Belmiro, em Santos. Além disso, o volume de chuva acumulado nesse feriado prolongado, até o momento, foi de 26 milímetros. "Não é um volume grande, mas é relevante, dada a situação precária das ruas nas cidades da Baixada Santista", diz Bonafim.


Alerta continua


De acordo com ele, a situação segue preocupante nesta segunda, não tanto por conta da intensidade da chuva, mas por sua constância, já que deve durar por todo o dia. Em Santos, por exemplo, há possibilidade de transtornos, especialmente em áreas mais vulneráveis, como a Zona Noroeste e algumas ruas de bairros como Embaré, Boqueirão e Gonzaga. Nos morros, a atenção é ainda maior por causa do solo úmido, decorrente da chuva constantes nas últimas semanas.


Os institutos reforçam a preocupação para esta semana. A expectativa é de avanço de um sistema frontal pelo oceano, organizando a convergência de umidade entre o sul da região amazônica e o Sudeste do Brasil.


Isso contribuirá para a formação de uma Zona de Convergência de Umidade (ZCOU). Esse sistema deve seguir configurado até quarta-feira (21), e por isso há possibilidade de chuva intensa e persistente em pontos de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Goiás e Distrito Federal nos próximos dias.


Outras cidades


A Defesa Civil de São Vicente informou que uma árvore caiu na Praça Barão do Rio Branco, no Centro, mas já está sendo retirada. Ninguém ficou ferido e não houve prejuízos materiais.


Já em Guarujá, houve duas ocorrências na noite de domingo, ambas sem vítimas: a queda de tela de proteção externa de um prédio nas Astúrias e de uma árvore na Avenida Santos Dumont, onde vegetal caiu em cima de um táxi que estava estacionado na via, mas sem vítimas.


Apesar no susto, não havia ninguém dentro do veículo no momento do acidente
Apesar no susto, não havia ninguém dentro do veículo no momento do acidente   Foto: Reprodução

As cidades de Bertioga, Cubatão, Peruíbe e Praia Grande informaram que não houve ocorrências por conta do vento e da chuva. Mongaguá, por sua vez, registrou "alguns pontos de alagamento", mas que foram "satisfatoriamente absorvidos pelos sistemas de drenagem".


A Tribuna On-line também entrou em contato com a Prefeitura deItanhaém, mas até o momento não recebeu resposta.


Logo A Tribuna