EDIÇÃO DIGITAL

Domingo

19 de Maio de 2019

Aposentado não consegue cirurgia vascular em Santos

Milton José da Luz Carvalho, de 51 anos, continua internado no Hospital dos Estivadores

Há pedido de transferência de hospital, decisão judicial e comprovação da necessidade de cirurgia, mas o aposentado Milton José da Luz Carvalho, de 51 anos, continua internado no Hospital dos Estivadores, em Santos, sofrendo com a postura do Governo do Estado e sem o procedimento do qual precisa para sobreviver.

Ele sofreu infarto em 24 de março e segue internado desde 8 de abril no hospital santista, numa espera angustiante por cirurgia vascular, correndo o risco de ter a artéria aorta, do coração, rompida.

O aposentado está na lista da Central de Regulação de Ofertas de Serviços de Saúde (Cross), administrada pelo Governo do Estado. Uma liminar (decisão judicial antecipada) obrigou a Secretaria de Estado da Saúde a fazer exame que atestasse a necessidade do procedimento e, com a comprovação, levar imediatamente Milton para a operação.

O exame, uma tomografia, ocorreu na última quinta-feira, mas a família não sabe quais serão os próximos passos. “O médico falou que encaminhou o exame à Secretaria de Estado da Saúde”, contou a irmã do paciente, a dona de casa Maria da Luz Castro, de 52 anos, dizendo não ter sido informada sobre o resultado.

E agora?

Responsável pelo Hospital dos Estivadores, a Prefeitura de Santos informou, por nota, que Milton continua precisando da cirurgia, de alta complexidade, para qual não há hospital habilitado pelo SUS na região, “sendo responsabilidade do Governo Estadual o seu encaminhamento para unidade especializada, conforme decisão judicial”.

Segundo a Secretaria de Saúde da gestão Paulo Alexandre Barbosa (PSDB), o paciente está na UTI, “recebendo toda assistência necessária da equipe multiprofissional”.

Maria relatou que Milton tem sofrido demais com a espera. “Não é nada fácil ver o irmão da gente definhando. Ele está deprimido, chorando e desistindo da vida, porque a coisa não anda”.

Uma declaração médica anexada ao processo iniciado pela família contra o Governo do Estado aponta que o aposentado está em estado grave e precisa de transferência para hospital onde possa ser submetido à cirurgia.

Tá difícil?

Mesmo com ordem judicial, apelo médico e novo exame, a gestão João Doria (PSDB) segue deixando o paciente sem o tratamento do qual precisa.

Em nota, a Secretaria de Estado da Saúde disse que os médicos da Cross estão monitorando o quadro de saúde do paciente para auxiliar no processo de transferência a serviço de referência. “O procedimento para seu caso é de altíssima complexidade”, contextualizou a pasta, sem estipular data para cumprir a ordem da Justiça.

“Transferências são realizadas em conformidade com os critérios do SUS, com priorização dos casos mais graves e urgentes. Além da disponibilidade de vagas, é necessário que o paciente apresente condições clínicas de ser transferido, com quadro estável e livre de infecções”.