EDIÇÃO DIGITAL

Segunda-feira

9 de Dezembro de 2019

Jovens se unem na Black Friday e compram lanches para moradores de rua em Guarujá

Grupo de amigos aproveitou dia de promoções e enfrentou longas filas para realizar a boa ação

Um grupo de jovens se uniu para realizar uma boa ação na Black Friday deste ano, que ocorreu no último dia 29. Ao invés de aproveitarem a data e comprarem bens para consumo próprio, os amigos decidiram alimentar pessoas carentes que vivem em situação de rua na cidade em que moram, Guarujá.

“Muitas pessoas nesse dia só pensam no próprio consumo. Eu venho de uma família bem humilde, em que as coisas sempre foram muito difíceis. Quando eu passo na rua e vejo essas pessoas, fico muito sensibilizado, querendo ajudar, mas eu não posso, porque eu não tenho uma condição financeira boa. Esse mês, como eu estava com um pouco de dinheiro sobrando, decidi fazer isso”, conta Leonardo Souza, de 23 anos, que trabalha como controlador de acesso.

O jovem explica que a ideia surgiu quando soube que empresas de fast food fariam promoções de lanches. Ele decidiu publicar nas redes sociais para ver se mais pessoas gostariam de participar da iniciativa. Amigos se manifestaram e, assim, a ideia se concretizou. Porém, a ação enfrentou desafios: depois de esperarem nas longas filas, eles descobriram que nenhuma das três lojas em que foram estava participando do dia de promoções. Mesmo assim, o grupo não desistiu e comprou os lanches.

“O momento mais marcante foi quando fomos entregar o lanche para um senhor que estava na calçada, muito cabisbaixo. Nós paramos e conversamos, e ele nos contou que tinha acabado de fazer uma oração e pedir para Deus algo para comer. Depois, voltamos para entregar mais um lanche para ele, e o senhor estava ajoelhado, orando e agradecendo a Deus por aquele lanche. Foi uma cena muito forte para nós”, comenta.

O grupo entregou os alimentos pela orla da cidade. Eles encontraram três crianças trabalhando no semáforo, foi quando decidiram registrar o momento. Na foto estão, além de Leonardo, Vinicius Santos da Silva, de 19 anos, Edmilson Ataíde, de 19, Ramon Pimenta, de 22, Gessica Helen, de 20, e Alice Martins, de 17 anos.

Encontro com meninos que trabalhavam no semâforo foi registrado pelo grupo (Arquivo Pessoal/Leonardo Souza/ Plantão Guarujá)

“Eu penso que se eu não tenho uma condição financeira boa, imagina essas pessoas que moram na rua, que não têm condição de comer uma comida boa, podem chegar a não comer nada no dia. Geralmente, eles não são percebidos, porque as pessoas passam por eles e pensam que estão enchendo o saco, ‘estão aqui em vez de estar trabalhando’. Mas a realidade não é essa, ela é diferente disso. A gente que vem de uma comunidade humilde sabe muito bem disso”, finaliza.

Tudo sobre: