EDIÇÃO DIGITAL

Quinta-feira

6 de Agosto de 2020

Hospital de campanha de Guarujá tem 25% dos leitos ocupados em quatro dias de operação

De terça (12) para quarta-feira (14), o complexo emergencial teve um aumento de 142% em internação de pacientes com sintomas graves de Covid-19

Um de cada cinco leitos abertos no hospital de campanha de Guarujá já está ocupado por pacientes em tratamento do novo coronavírus. A marca foi registrada na noite desta quarta-feira (13), menos de quatro dias do complexo erguido no hangar da Base Aérea de Santos, em Vicente de Carvalho, entrar em operação. Dezessete pessoas recebem atendimento na unidade. 

Até terça-feira (12), o local tinha o registro de sete internados. Trata-se de um aumento de 142% em apenas dois dias. O equipamento, que iniciou suas operações no último sábado (9), possui 14 pessoas na enfermaria e outras três na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Dos 17 pacientes, 14 são homens e três são mulheres, com faixa etária dos 27 aos 85 anos. Eles deram entrada no hospital de campanha entre sábado (9) e esta quarta-feira (13). 

Segundo o secretário adjunto de Saúde, Marcelo de Almeida César, o aumento expressivo em pouco tempo “justifica-se pela dinâmica de ocupação, a partir da transferência de pacientes das Unidades de Pronto Atendimento (UPAS), que são a porta de entrada da rede municipal de saúde com relação à Covid-19”.   

No hospital de campanha são ofertados um total de 70 leitos, desses 50 são clínicos e os outros 20 de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). O complexo, composto por duas tendas, soma três mil metros quadrados e conta com mais de 260 profissionais de saúde. Na última sexta-feira (8), o prefeito da cidade, Válter Suman, realizou vistoria final no local. 

Este é o único hospital civil dentro de uma base militar no país. Para César, o hospital é mais uma medida importante no enfrentamento à pandemia na cidade. “Esta é uma parceria inédita com o Ministério da Defesa, através da Base Aérea. O local reúne tecnologia de ponta e que com certeza vai nos auxiliar e muito no combate à esta doença em nosso município”.  

Encaminhamento  

A unidade emergencial não é considerada de porta aberta, ou seja, parte do paciente procurar atendimento no local. São direcionados aqueles que deram entrada em outros postos de saúde municipal e que apresentam sintomas da Covid-19, sendo encaminhado pela própria rede municipal. A prefeitura garante que maquinário adquirido para a operação emergencial será, posteriormente, incorporado ao patrimônio municipal e distribuído nas unidades de saúde.   

O valor do investimento do Hospital de Campanha é de R$ 14,9 milhões, por 90 dias de funcionamento. Do valor total, R$ 3,2 milhões são do tesouro municipal, mais R$ 3,2 milhões enviados pelo Governo do Estado e a maior parte, R$ 8,5 milhões, fruto de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) firmado entre a Prefeitura de Guarujá e o Ministério Público (MP) de São Paulo, que permitiu, com a devida autorização do Conselho Municipal do Meio Ambiente (Comdema), a transferência de recursos do Fundo Municipal do Meio Ambiente para o Fundo Municipal de Saúde. 

Tudo sobre: