Meningite em alta na Baixada Santista chama atenção para a vacinação

Número de mortes de janeiro a setembro deste ano supera as do mesmo período de 2021

Por: Régis Querino  -  28/10/22  -  19:35
A vacinação é a forma mais eficaz de se proteger contra a meningite
A vacinação é a forma mais eficaz de se proteger contra a meningite   Foto: Tânia Rego / Agência Brasil

O baixo índice de cobertura vacinal na Baixada Santista aumentou o número de casos de meningite e mortes em decorrência da doença na região. De janeiro a setembro deste ano, de acordo com as nove prefeituras, houve 48 casos e 15 mortes. No ano passado inteiro, registraram-se 40 infecções e dez óbitos.


Clique, assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe centenas de benefícios!


Além da queda na vacinação, infectologistas ouvidos por A Tribuna creditam o aumento de casos à flexibilização no uso de máscaras, à onda negacionista contra as vacinas e ao Governo Federal, que não se empenharia em promover campanhas de imunização.


O infectologista Evaldo Stanislau aponta que “as bactérias que transmitem a meningite são basicamente transmitidas por via aérea. As pessoas carregam essas bactérias, mas não necessariamente quem carrega a bactéria vai ficar doente”. Por isso, criticou a flexibilização do uso das máscaras.


O médico salienta que, “no Estatuto da Criança e do Adolescente, tem um item que obriga que os pais e responsáveis por menores os vacinem com as vacinas recomendadas pelas autoridades sanitárias. Ao não o fazer, as pessoas estão cometendo um crime”.


O infectologista Marcos Caseiro disse que os casos de meningite detectados na região estão relacionados à meningocócica C, combatida pela vacina. “A pandemia pode ter tido um impacto (na queda no número de vacinados), mas acho que houve também um certo desserviço, de serem colocadas em xeque as próprias vacinas. Um movimento negacionista, que vem lá de cima (Governo Federal).”


Caseiro comentou que, além da meningite, outras doenças, praticamente erradicadas no Brasil — como o sarampo e a poliomielite — voltaram a ser detectadas no País pela “expressiva queda na cobertura vacinal”. “Essas doenças estavam praticamente controladas, não tinha porque aumentarem sendo um patógeno coberto pela vacina”, observou.


Imunização na Baixada


Bertioga: a cobertura vacinal da meningocócica C é de 37,56% até este mês, segundo a Prefeitura. A vacina está disponível em todas as unidades básicas de Saúde e estratégias de Saúde da Família, de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h.


Cubatão: as vacinas aplicadas nas 14 unidades de Saúde fazem parte do calendário estadual de vacinação: a meningocócica C, para crianças com 3, 5 e 12 meses e profissionais de Saúde, e a meningocócica ACWY (dose única), para crianças entre 11 e 12 anos.


Guarujá: aplicam-se a vacina meningocócica ACWY para adolescentes de 11 a 14 anos e a meningo C, para crianças até 10 anos, nos 20 postos de vacinação, de segunda a sexta, das 9h às 15h.


Itanhaém: as vacinas meningo C e ACWY estão disponíveis nas unidades de Saúde, de segunda a sexta, das 9h às 15h.


Mongaguá: município oferece as vacinas tipo C e ACWY nas nove unidades de Saúde, das 9h às 16h.


Peruíbe: a Prefeitura está atualizando cadernetas de vacinação nas escolas.


Praia Grande: as vacinas meningocócica C e ACWY são oferecidas de segunda a sexta, das 9h às 16h, nas 30 unidades de Saúde da Família e, aos sábados, das 9h às 15h, no Cemas, na Rua Thomé de Souza, 1.313, Aviação. A Cidade amplia a vacinação meningocócica ACWY para adolescentes de 13 e 14 anos até junho de 2023. A vacina já é oferecida a crianças de 11 e 12 anos. A meningocócica C está disponível para crianças até 10 anos (que ainda não se vacinaram) e trabalhadores da Saúde até fevereiro.


Santos: de acordo com a Secretaria de Saúde, a cobertura vacinal da meningo C (menores de 1 ano) é de 69,70%, e a dose de reforço (de 12 a 24 meses) está em 72,22%. A cobertura vacinal da meningo ACWY (13 e 14 anos) é de 36,96%. O órgão ressalta que desde o início deste mês, a ACWY também está disponível na faixa de 11 a 14 anos.


São Vicente: a Cidade oferece vacinas meningo C e ACWY a crianças e adolescentes de 11 a 14 anos nas 26 unidades Básicas de Saúde e estratégias de Saúde da Família, de segunda a sexta, das 9h às 15h30. O posto fixo do Brisamar Shopping (Rua Frei Gaspar, 365, 3º andar, loja 346) atende de segunda a sábado, das 10h às 19h.


Logo A Tribuna
Newsletter