Logo A Tribuna
ASSINE
Icone usuario ENTRAR
CLUBE IMPRESSO ACERVO ASSINANTE

Linha de ônibus 931 está no top 3 das mais caóticas do Estado de São Paulo

O itinerário que atende do Samambaia, em Praia Grande, até o bairro santista Paquetá apresentou cerca de 300 falhas em 2020

Por: Por ATribuna.com.br  -  06/01/21  -  09:32
Ônibus intermunicipal: locais com aglomeração favorecem transmissão
Ônibus intermunicipal: locais com aglomeração favorecem transmissão   Foto: Matheus Tagé/AT

A linha do transporte intermunicipal 931 (Samambaia, em Praia Grande, até o Paquetá, em Santos) é a terceira no Estado de São Paulo em número de falhas operacionais. É o que aponta um levantamento realizado pela Rede Globo, entre os meses de janeiro e setembro de 2020, tem por base a lei de acesso à informação.


Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!


Esse é o único itinerário regional a aparecer na listagem. Conforme o estudo, a linha apresentou 298 falhas ao longo dos nove primeiros meses de 2020. Entre os problemas, listam pontualidade dos ônibus, quebras mecânicas, falta de manutenção, baixa velocidade do motor e incidentes com freios.


A linha é uma das mais caras no transporte intermunicipal, custando aos usuários R$ 5,50 por viagem – as demais linhas têm custo de R$ 4,90.


Em nota, a Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos de São Paulo (EMTU) informa que a linha 931 cumpriu 43 mil viagens e percorreu 1,5 milhão de quilômetros no período entre janeiro e setembro de 2020. Com isso, cita que há “uma falha a cada 144 viagens, ou uma falha técnica a cada 5 mil quilômetros”.


A autarquia paulista, responsável por organizar os intermunicipais das regiões metropolitanas, afirma que transporta mensalmente, fora da pandemia, cerca de 3,7 milhões de passageiros em 59 linhas que operam na Baixada Santista.


“Nas inspeções regulares realizadas na frota das linhas metropolitanas, cerca de 400 itens são verificados e estão relacionados à segurança, manutenção e conservação do coletivo. As irregularidades apontadas são apuradas e, constatada a responsabilidade por parte das empresas concessionárias, estas estão sujeitas às sanções contratuais por parte da EMTU”, finaliza a nota.


Logo A Tribuna