EDIÇÃO DIGITAL

Quinta-feira

6 de Agosto de 2020

Deputada busca apoio federal para aeroportos de Itanhaém e Praia Grande

Rosana Valle (PSB-SP) esteve em reunião com a superintendente da Infraero, Adriana Lopes Ramos

A deputada federal Rosana Valle (PSB-SP) busca apoio do governo federal para os aeroportos de Itanhaém e Praia Grande. A parlamentar levou a demanda até a superintendente da Infraero, Adriana Lopes Ramos.

A superintendente conversou com a deputada a pedido do ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas. Adriana Lopes informou que se dedicará plenamente à missão de viabilizar o aeroporto de Guarujá. Para tanto, virá do Rio de Janeiro, onde atuava como superintendente do Aeroporto Santos Dumont, para residir na Baixada Santista. 

Rosana destacou a necessidade de gestão no sentido de melhor aproveitar o Aeroporto de Itanhaém, que perdeu recentemente os voos para as plataformas de extração da Petrobras, e que tem grande potencial. Com uma pista de 1.350 metros por 30 metros de largura, o local tem terminal de passageiros de 1.500 m², estacionamento com 60 vagas e comporta receber simultaneamente  dois  aviões boing  737-800, entre 100 e 150 passageiros, ou quatro ATRs, de 68 a 80 passageiros. 

“O Aeroporto de Itanhaém representará um grande impulso ao desenvolvimento do turismo e de toda economia no Litoral Sul”, disse a deputada. 

Praia Grande

A parlamentar também falou que está em tratativas para conseguir apoio do governo federal, também, para viabilizar o Projeto Andaraguá. O complexo prevê um aeroporto de cargas em Praia Grande, com pista de 2,6 quilômetros, um condômino industrial com 212 galpões e que prevê investimentos de R$ 1 bilhão, com a criação de 15 mil empregos. 

O idealizador do aeroporto, André Ursini, relatou os desafios que enfrenta para Rosana, que revelou já conversado sobre o empreendimento com o presidente Jair Bolsonaro, interessado na concretização do projeto.   
 Guarujá

A superintendente informou à deputada federal que já acionou o corpo técnico da Infraero para providenciar uma ampliação da faixa de segurança do Aeródromo Civil Metropolitano de Guarujá, de modo a ampliar a capacidade para aviões maiores e garantir total segurança aos usuários. A expectativa é de abertura para voos executivos em seis meses e para linhas regulares daqui a 12 meses.

Os técnicos de Meio Ambiente da empresa devem providenciar o licenciamento para remoção de pequeno trecho de vegetação. Os setores de Engenharia e Certificação também devem atuar nas etapas já anunciadas pela superintendente para viabilizar o aeroporto.

Quanto ao interesse sinalizado por empresas aéreas, no sentido de oferecer  linhas nacionais quando o aeroporto abrir, Adriana prefere, primeiro, viabilizar as etapas de credenciamento e infraestrutura, antes de tratar do assunto. “Terminando esta fase vamos começar a prospectar empresas aéreas”. 

A representante da Infraero inspecionou a pista de pousos e decolagens, de 1.390 metros, na Base Aérea de Santos, em Vicente de Carvalho. Dentro de 30 dias, ela, em parceria com a Prefeitura, entregará um plano de ações do aeródromo. Depois do registro junto à Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) e das obras de recuperação e recapeamento da pista, o aeroporto poderá receber os primeiros aviões executivos. 

Tudo sobre: