Baixada Santista deve regredir à fase vermelha do Plano SP nesta sexta

Mais restritiva das colorações, a regra pode ser adotada apenas nos finais de semana

Os nove municípios da Baixada Santista podem regredir para a fase vermelha do Plano SP – a mais restritiva no planejamento estadual de contenção da Covid-19. A decisão de endurecer a quarentena será anunciada pelo governador João Doria (PSDB), no começo da tarde desta sexta-feira (22), durante reclassificação das áreas administrativas paulistas conforme a escalada de novos casos da doença grave respiratória. 

Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!

Conforme apurado por ATribuna.com.br, a fase mais restritiva do Plano SP pode ser adotada a partir das 20h nos dias úteis e durante todo o final de semana. Essas normais tendem a ser estabelecidas em todo o território paulista.

A decisão foi tomada numa reunião no começo da noite deste quinta-feira (21), no Palácio dos Bandeirantes. Com isso, bares, restaurantes, comércio não essencial estão proibidos de funcionar até a manhã seguinte. 

O modelo é similar ao que foi adotado nos feriados de Natal e Ano Novo, no qual Doria estabeleceu regras rígidas a fim de evitar aglomeração. Desta vez, a mudança no patamar é justificada pelo aumento expressivo de casos de Covid-19 nas cidades paulistas. 

Fases

Na fase vermelha, apenas farmácias, mercados, padarias, postos de combustíveis, meios de transporte coletivos (ônibus e VLT), serviços de hotelaria e delivery de restaurantes e lanchonetes estarão autorizados a funcionar. 

Fora desse período, a Baixada Santista será alocada na coloração laranja, segunda entre as cinco faixas incluídas no planejamento estadual. Atualmente, as cidades locais estão na fase amarela (intermediária). 

Já na fase amarela, salões de beleza, shoppings, comércio em geral, restaurantes e lanchonetes, academias e cinemas podem funcionar, porém com horário e capacidade de atendimento reduzidos. 

Leitos 

Segundo a Folha de S.Paulo, o governo estadual também deverá divulgar nesta sexta um pacote de aumento de leitos hospitalares —tanto de UTI quanto enfermarias. Deverão ser abertos mais de 700 novas vagas, provavelmente em esquema de hospital de campanha. 

A taxa de ocupação geral de UTIs é a que mais preocupa. Saltou de 61,8% para 70,8% do começo do mês para cá. Na Grande São Paulo, foi de 66,9% para 71,5%, um número mais estável. São 13.711 doentes de Covid-19 internados no estado, 6.053 deles em UTIs. 

Tudo sobre: