ACS cria grupos para debater o desenvolvimento de Santos

Com mais de 100 nomes, esta é mais uma etapa do projeto de implantação do Condesan

O projeto que tem como objetivo balizar o crescimento de Santos para os próximos 20 anos começa a ganhar forma. Criado pela pela Associação Comercial de Santos (ACS), o Conselho de Desenvolvimento Econômico de Santos (Condesan) formou nove grupos de trabalho para iniciar as discussões do que é necessário para o futuro da Cidade em duas décadas.

Esses grupos focarão nas áreas da Saúde, Educação, Planejamento Urbano, Desenvolvimento Econômico, Turismo e Eventos, Social e Segurança, Inovação e Ambiental. Com a participação de mais de 100 nomes de diversas instituições santistas, as equipes planejarão os próximos anos do Município e formarão uma base de representação da sociedade que atuará como suporte à gestão pública.

Em conjunto com três parceiros - Associação dos Empresários da Construção Civil da Baixada Santista (Assecob), Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares (SinHoRes) e Universidade Católica de Santos (UniSantos) -, foram contratados o ex-prefeito de Maringá (PR), Silvio Barros, e a executiva Márcia Santin para efetivar a implantação do Condesan. Amanhã, às 11h, os dois comandarão um workshop por videoconferência para orientar as equipes.

Implantação

A criação do Condesan foi divulgada em 11 de dezembro de 2019. Na ocasião, o diretor-presidente da TV Tribuna, Roberto Clemente Santini, na época presidente da ACS, fez questão de ressaltar a importância da implantação do conselho para o desenvolvimento da Baixada Santista. 

“Nós esperamos que outras entidades e outros empresários se unam com o Poder Público para termos um futuro bem organizado e bem planejado. É um projeto unido, vitorioso e audacioso. Só temos a ganhar”.

Dando sequência à proposta lançada por Santini, o atual presidente da ACS, Mauro Sammarco, enfatizou a importância do órgão para o desenvolvimento regional. 

“O Condesan é um colegiado formado por representantes da sociedade civil, visando o desenvolvimento contínuo, organizado e sustentável da Cidade. Ele é fundamental para a promoção do crescimento econômico e social que Santos pode alcançar. Colocamos na nossa ordem do dia a missão de dar sequência ao trabalho iniciado na gestão anterior”.

Incentivo

O presidente da Assecob, Ricardo Beschizza, foi um dos incentivadores da implantação do conselho. De acordo com ele, a ideia de trazer o projeto para Santos surgiu durante a realização do Fórum da Indústria da Construção de Santos e Região (Ficon), realizado em 2018, a partir de uma sugestão do presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), José Carlos Rodrigues Martins.

Ainda no Ficon, com apoio do Grupo Tribuna, foi realizada uma visita a Maringá, onde empresários conheceram, na prática, o conselho e os resultados de tal iniciativa em terras paranaenses. 

Para o diretor-presidente de A Tribuna, Marcos Santini, essa viagem foi fundamental, pois “a maioria voltou convencida de que Santos tinha que criar seu Conselho de Desenvolvimento Econômico, com efetiva participação de empresários e sociedade civil”.

Propostas serão apresentadas a candidatos

Assim como ocorreu em Maringá, a partir do resultado dos grupos de trabalho, as propostas e o planejamento de longo prazo serão apresentados a todos os candidatos a prefeito, colaborando com as plataformas de campanha e até assegurando compromissos formais de futura execução com a sociedade.

Para o empresário André Canoilas, o Condesan poderá atrair novos investimentos aos mais variados setores, proporcionando o efetivo desenvolvimento da Cidade e muitas oportunidades de emprego.

“Nós temos um DNA enorme para a área logística e isso deve ser levado em conta. Além, é claro, de explorar outras áreas da Cidade, como as obras da entrada de Santos, a reformulação da Ponta da Praia e a criação de um novo Centro de Convenções”.

Tudo sobre: