Tribuna do Leitor - segunda-feira, 12 de fevereiro de 2024

Hoje, com as participações de Gilberto Pereira Tiriba, Grupo de Proteção da Família e da Cidadania e outros

Por: ATribuna.com.br  -  12/02/24  -  06:54
  Foto: Alexsander Ferraz/AT

Censo
Os números do novo Censo nos dão uma amostra do Brasil atual. Existem 579,8 mil atividades religiosas, entre igrejas, templos, terreiros, sinagogas e centros espíritas, contra 264,4 mil estabelecimentos de ensino e saúde, juntos. Como é possível um país tão religioso ser tão violento e desigual? Algo deve estar errado. No regime democrático, a religião é sumamente importante na ajuda espiritual do ser humano, tornando-o mais confiante em sua caminhada pela vida, mas não podemos esquecer que um país fraco em educação, segurança e saúde não tem futuro. Alguém já disse que o pior cego não é aquele que não vê, e sim aquele que finge não ver. Que esses e outros dados do Censo sirvam de estimulo aos políticos para criarem a verdadeira bancada do povo. Orlando Machado - Santos


Ação policial
Mais um policial morreu em confronto com bandidos na Baixada Santista e a Secretaria Estadual da Segurança Pública transfere o gabinete do secretário para Santos, para que ele possa supervisionar pessoalmente a operação. Essa ação está sendo feita em decorrência do assassinato do policial. Gostaria muito que, quando houvesse a morte de um civil, todo esse aparato também fosse disponibilizado para prender os assassinos e evitar outros crimes. Gilberto Pereira Tiriba - Santos


Sabrina
Sabrina era uma mulher simples, de gostos simples, levava uma vida simples. Sabrina tinha sonhos, planos, desejos, Sabrina tinha toda uma vida pela frente. Sabrina terminou seu turno de trabalho e voltava para casa, para o marido, para seus sonhos, seus planos, sua vida simples. Sabrina foi covardemente assassinada por vagabundos que alguns moderninhos gostam de chamar de ‘coitadinhos, vítimas da sociedade’. Sabrina era mulher, rica não era, não era da ‘elite branca de olhos azuis da Av. Paulista’, era trabalhadora, honesta, dedicada. Sabrina foi covardemente assassinada. Não vi Gleisis, Tabatas, Manuelas e Janjas fazerem discursos contra a crueldade de seu assassinato. Sabrina era policial. Talvez isso justifique a falta dos discursos emocionados e calculadamente indignados, e do ‘ninguém larga a mão de ninguém’. Dedico estas humildes linhas à memória da policial, da mulher Sabrina. Marcos T. Mendonça - Santos


Segurança
Todos unidos no total apoio à Secretaria Estadual da Segurança Pública e aos batalhões do Baep, Força Tática, Garra, Rota, Gate, GER e Dipol para o combate à criminalidade. Que eles consigam reduzir a violência e a criminalidade em toda a Baixada Santista e a população colabore com as autoridades, utilizando o telefone 181 para fazer denúncias anônimas. A população precisa ter mais paz, segurança e qualidade de vida. Grupo de Proteção da Família e da Cidadania


Estadista
Há quatro anos sofremos a ausência do bom senso, penamos com o ódio e o preconceito em todos os aspectos. Lula veio lavar a alma de todos. Enxergou o interesse público e deixou picuinhas de lado. Os fatos estão aí. O túnel sairá do papel e, por essas e outras, Lula é um estadista. O resto é resto. Renato Caetano de Jesus - Santos


Túnel
Gostaria de entender essas pessoas que jogam flores tanto no governador quanto no presidente pelo sonhado túnel. Pelo que entendi, os custos da obra serão divididos entre Estado e União. Até aí, tudo bem, justíssimo. Como sempre falo, esses entes não geram dinheiro. Quem gera é o contribuinte. Pois bem: se o túnel será pago com meu dinheiro, por que terei que pagar para usá-lo? Ja não pagamos IPVA e outros tributos? Traçando um paralelo: jogar flores no caixa eletrônico em que você saca seu dinheiro tem lógica? Um povo ignorante é tudo que um governo deseja. Fabricio Xavier Leonardo - Santos


Ucrânia
A União Europeia fechou um acordo de ajuda de € 50 bilhões (euros, R$ 268 bilhões) para a Ucrânia em quatro anos. Mas não deveria ser cobrado do Volodymyr Zelensky esse valor pela incompetência dele em administrar o caso contra o Vladimir Putin? O cara comete o erro, acaba com o próprio país e quem paga são os outros? Uma parcela da humanidade passando fome e líderes mundiais bancando incompetência de pseudosadministradores de nações... Pedro dos Santos Neto - Santos


Reeleição
O missivista Orlando Machado, acertadamente, sugere a não reeleição para os cargos majoritários, mas esquece dos cargos proporcionais. Tema importante, a não reeleição deveria atingir todos os cargos eleitorais. Para os cargos majoritários, eu proporia seis anos de mandato. Já para os cargos proporcionais, três anos, com possibilidade de uma única reeleição. Acabaríamos com verdadeiras castas. Marcus Aurelio de Carvalho - Santos


Tudo sobre:
Este artigo é de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a linha editorial e ideológica do Grupo Tribuna. As empresas que formam o Grupo Tribuna não se responsabilizam e nem podem ser responsabilizadas pelos artigos publicados neste espaço.
Ver mais deste colunista
Logo A Tribuna
Newsletter