EDIÇÃO DIGITAL

Terça-feira

14 de Julho de 2020

Fortes em defesa de nossa história

Dezenove fortificações brasileiras se candidataram ao título de Patrimônio Mundial da Unesco. Duas delas estão na Baixada Santista

Em 2022, ano em que o Brasil comemora o bicentenário de sua Independência, 19 fortificações coloniais que pontilham o Litoral Brasileiro concorrem ao título de Patrimônio Cultural da Humanidade pela Unesco. Edificado entre os séculos 16 e 18, o conjunto de fortes e fortalezas nacionais está entre as indicações mundiais, sendo que dois deles ficam bem pertinho de nós: a Fortaleza de Santo Amaro da Barra Grande, de Guarujá – situada no Estuário da Baía de Santos – e o Forte São João, em Bertioga. Ambos representam o Estado na lista da Unesco.

A candidatura das fortificações foi formalizada em 2015, pelo Comitê Nacional da Candidatura das Fortificações do Brasil, que é formado por técnicos do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) – vinculado ao Ministério do Turismo.

A divulgação dos fortes eleitos como patrimônio mundial só ocorrerá em 2022, mas, até lá, que tal conhecer a sua importância histórico-cultural para o País por meio de uma viagem virtual? Afinal, o que não faltam são sites com rico material informativo, imagens e vídeos capazes de nos transportar para uma viagem aos séculos 16, 17 e 18, época em que essas edificações foram de vital importância na defesa de nossas águas.

Um dos defensores do valor simbólico desses fortes para o País e também do sentimento de pertencimento pela população é o professor emérito da UniSantos, Elcio Rogerio Secomandi. Também coronel reformado do Exército, ele representa a Fundação Cultural Exército Brasileiro (Funceb) no Comitê Nacional do Iphan. E tem se empenhado no meio acadêmico e junto a instituições da Baixada Santista para o fortalecimento e divulgação das candidaturas.

“Meu empenho sobre o pertencimento e uma atuação comunitária que realizo em nome da Funceb – embora apenas oito das 19 fortificações indicadas estarem sob jurisdição do Exército – está no interesse em divulgar a origem militar de todas elas, apresentando o lado belo da Arquitetura e Engenharia Militar colonial”, afirma Secomandi.

O convite está feito, até porque amanhã começa a Semana Nacional dos Museus do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), e a maioria desses fortes guarda verdadeiras relíquias de nossa história!

As 19 fortificações concorrentes

1- Fortaleza de São João, Rio de Janeiro (RJ) 

2- Fortaleza de Santa Cruz, Niterói(RJ)

3- Forte do Brum, Recife (PE) 

4- Forte NSra. do Monte Serrat, Salvador (BA) 

5- Forte de São Diogo, Salvador (BA) 

6- Forte de Santa Maria, Salvador (BA) 

7- Forte dos Reis Magos, Natal (RN) 

8- Forte de Santa Catarina, Cabedelo (PB)

9- Forte de São Tiago das Cinco Pontas, Salvador (BA)

10- Forte Orange / de Santa Cruz, Itamaracá (PE) 

11- Forte de Santo Antônio da Barra, Salvador (BA) 

12- Forte de São Marcelo, Salvador (BA) 

13- Forte de São João da Bertioga, Bertioga (SP) 

14- Fortaleza de Santo Amaro da Barra Grande, Guarujá (SP) 

15- Forte Príncipe da Beira, Costa Marquês (RO) 

16- Forte de Coimbra, Corumbá (MS) 

17- Fortaleza de São José, Macapá (AP) 

18- Fortaleza de Santo Antônio de Ratones,  Florianópolis (SC) 

19- Fortaleza de Santa Cruz de Anhatomirim, Governador Celso Ramos (SC).

Tudo sobre: