Logo A Tribuna
ASSINE
Icone usuario ENTRAR
CLUBE IMPRESSO ACERVO ASSINANTE

Daniel Silveira gravou Bolsonaro e outras autoridades, afirma deputado do PSL

Deputado Felício Laterça afirmou que Silveira, que está preso, era um 'gravador ambulante'

Por: Do Estadão Conteúdo  -  23/02/21  -  16:22
Atualizado em 23/02/21 - 16:48
Sessão deliberativa da Câmara vai decidir sobre a prisão de Daniel Silveira
Sessão deliberativa da Câmara vai decidir sobre a prisão de Daniel Silveira   Foto: Divulgação/Câmara dos Deputados

O deputado Felício Laterça (PSL-RJ) disse que seu colega Daniel Silveira (PSL-RJ) - que está preso - gravou, clandestinamente, conversas com autoridades, como o presidente Jair Bolsonaro e o ex-presidente da Câmara Rodrigo Maia (DEM-RJ) "Ele era um gravador ambulante", afirmou Laterça ao Estadão. Segundo o parlamentar, Silveira também o procurou para "ganhar dinheiro na boa", em atos de corrupção.


Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!


Na madrugada de domingo (21) Laterça divulgou um vídeo nas redes sociais no qual diz que o próprio Silveira afirmou que tinha o costume de gravar pessoas. "Ele me revelou que tinha feito algumas gravações, ele tinha esse mau hábito. Ele acabou gravando conversa de parlamentares dentro do ambiente da Câmara. Ele disse que havia gravado o presidente da República", relatou Laterça, que é delegado licenciado da PF. Laterça disse ainda que essas gravações ocorreram em 2019. Sobre Bolsonaro, no entanto, afirmou não saber detalhes de como teria ocorrido.


Em outubro de 2019, Silveira gravou e divulgou áudios de uma reunião com um bate-boca da bancada do PSL. Na ocasião, o deputado Delegado Waldir (PSL-GO), então líder do partido na Câmara, ameaçou "implodir" Bolsonaro e o chamou de "vagabundo". Silveira disse ter agido para "blindar" o governo.


A assessoria de Silveira disse ao Estadão que a defesa só teria contato com o deputado nesta terça-feira (23). O advogado do parlamentar deve responder às acusações também nesta terça, por meio de nota.


Logo A Tribuna