CPI das Fake News da Alesp ouve deputado federal Alexandre Leite

Para o deputado, autor do requerimento que originou a Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) do Congresso Nacional, houve uma contaminação ideológica em torno do debate

A CPI das Fake News da Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) realizou, nesta sexta-feira (4), a oitiva do deputado federal Alexandre Leite (DEM). O parlamentar é autor do requerimento que originou a Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) do Congresso Nacional.

Os trabalhos foram feitos de maineira virtual, sob a presidência do deputado estadual Caio França (PSB). Participaram da reunião, os deputados estaduais Sargento Neri (Avante), Monica da Bancada Ativista (PSOL), Paulo Fiorilo (PT), Janaina Paschoal (PSL), Artur do Val (PATRI) e Edmir Chedid (DEM). A partir dessa semana, a deputada Maria Lucia Amary (PSDB) deixa de compor a CPI e será substituída pela deputada Carla Morando (PSDB).

Embora autor do requerimento e o responsável por colher as assinaturas para a abertura da CPMI, o deputado se retirou da mesma assim que foi instalada por discordar da condução dos trabalhos. Segundo ele, a ideia era identificar o ‘modus operandi’ das fake news para, a partir disso, construir uma legislação eleitoral mais atualizada e proteger o processo eleitoral, o que deveria ser o cerne da questão, no ponto de vista dele.

Leite lamentou que a CPMI já esteja cumprindo o prazo de prorrogação em Brasília sem ter avançado neste tema diante da aproximação das eleições municipais, em novembro. “As fake news prejudicam o resultado das eleições, interferem na democracia e causam danos, muitas vezes irreversíveis, à imagem dos candidatos”, disse o parlamentar.

Para o deputado, houve uma contaminação ideológica em torno do debate. “A minha saída foi uma forma de protesto. Houve um desvirtuamento de foco visando atingir a legitimidade do presidente Jair Bolsonaro. Sempre me posicionei a favor da investigação dessa indústria de difamação, mas virou uma perseguição”, afirmou.

Quando questionado pelos membros da CPI se ele teria informações a respeito das eleições de 2018 no estado de São Paulo, Leite alegou que acompanhou mais de perto o cenário em âmbito federal, mas de forma genérica afirmou que todos os partidos tiveram candidatos que se utilizaram das plataformas de disparo para produzir fake news nas últimas eleições.

Ao final da reunião, os deputados estaduais aprovaram três requerimentos, entre eles, a oitiva do responsável legal pela empresa 'Dataulfo Desenvolvimento Web e Gestão de Redes' e o encaminhamento de ofício à Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República, a fim de que forneça informações acerca do pagamento com verba pública, direta ou indiretamente, às empresas jornalísticas, no período de janeiro de 2019 até o presente momento.

 A próxima reunião está prevista para ocorrer na próxima quinta-feira (10), às 10 horas.

Tudo sobre: