Suspeito de tentar matar vendedor se apresenta à polícia em Santos

Homem confessou o crime e alegou que a sua intenção foi apenas “ferir” a vítima

Por: Eduardo Velozo Fuccia  -  24/11/18  -  15:06
Vítima está de pé, rente ao muro, quando o acusado se aproxima e o aborda
Vítima está de pé, rente ao muro, quando o acusado se aproxima e o aborda   Foto: Reprodução

Acusado de tentar matar a tiros o vendedor César Henrique da Silva Raposo, de 50 anos, Marcelo Gomes da Silva, de 47, se apresentou no 4º DP de Santos acompanhado de advogados, confessou o crime e alegou que a sua intenção foi apenas “ferir” a vítima.


A tentativa de homicídio aconteceu às 20h40 do último dia 5, na Rua Sete de Setembro, na Vila Nova. César Henrique estava na frente de um chaveiro, quando o acusado chegou ao local em uma moto Honda CB 600F Hornet, desceu do veículo e o baleou na região genital e na perna esquerda.


A Tribuna teve acesso agora à filmagem de uma câmera de segurança. As imagens confirmam a versão do vendedor, no sentido de que, em poucos segundos, Marcelo chegou ao local pilotando a Honda CB 600F Hornet, efetuou os disparos e fugiu com a moto.


Levada por uma equipe de resgate do Corpo de Bombeiros à Santa Casa de Santos, a vítima identificou o autor apenas por Marcelo. Segundo ela, entre ambos havia um desentendimento relacionado à venda de um carro, razão pela qual chegou a ser ameaçada de morte pelo acusado.


Investigação


Os investigadores José Benedicto Camargo e Larissa Bissoli apuraram o nome completo do acusado e exibiram a sua fotografia para a vítima no hospital. César Henrique reconheceu Marcelo como o autor dos disparos e os policiais foram à residência do acusado, no Macuco, mas não o localizaram.


Ao saber que havia sido descoberto e os investigadores estavam no seu encalço, Marcelo compareceu ao 4º DP. Acompanhado pelos advogados Armando de Mattos Júnior e Gabriel Dondon Salum Sant’anna, ele foi interrogado pelas delegadas Lilian Rodrigues Abdalla e Deborah Perez Lázaro.


Marcelo confirmou a discórdia entre ele e a vítima por questões comerciais, mas acrescentou que o vendedor ainda ofendeu a sua honra. Sobre a arma do crime, o acusado afirmou que usou um revólver calibre 38, adquirido há seis meses de um caminhoneiro no Porto para a sua segurança pessoal.


O revólver foi jogado durante a fuga no canal da Avenida Jovino de Melo, próximo ao cruzamento com a Avenida Nossa Senhora de Fátima, na Zona Noroeste, ainda conforme Marcelo. Por fim, ele declarou estar arrependido, alegando que atirou abaixo da linha da cintura da vítima porque apenas pretendia feri-la.


Como não houve flagrante e nem há mandado de prisão contra Marcelo, ele foi indiciado em inquérito e liberado. Há mais de 20 anos, em Santos, também por desentendimento causado por dívida, o acusado atirou contra uma pessoa, sendo condenado por tentativa de homicídio.



Tudo sobre:
Logo A Tribuna