Jovem que viralizou nas redes sociais ostentando arma é preso; confira entrevista

Rapaz de 21 anos postou um vídeo no qual empunha uma pistola e segura um cigarro de maconha no Morro do José Menino, em Santos

Por: Eduardo Velozo Fuccia  -  21/01/19  -  23:49

Kleber Pereira da Silva, o Klebinho, de 21 anos, foi preso na tarde desta segunda-feira (21). Ele é o rapaz que tem o nome 'Creuza' e um terço com crucifixo tatuados no antebraço direito até a mão. Viralizaram recentemente nas redes sociais vídeos nos quais o jovem empunha uma pistola e segura um cigarro de maconha aceso, no Morro do José Menino, em Santos.


As filmagens, que não mostram o rosto do rapaz, desafiaram as polícias Civil e Militar. Klebinho, agora, se diz arrependido. Alega estar sofrendo “perseguição” por parte de policiais militares, e que era de “airsoft” (pressão) a pistola que portava. Segundo ele, a arma pertence a um desconhecido, e ele apenas a segurou para fazer os vídeos com a câmera de seu celular, negando tê-los compartilhado.


A declaração foi dada em entrevista exclusiva para A Tribuna On-line, na tarde desta segunda-feira (21), antes de Klebinho ser capturado por policiais da Delegacia de Investigações Gerais (DIG), no bairro Gonzaga. A pedido do delegado Luiz Ricardo de Lara Dias Júnior, o juiz Alexandre Betini decretou a prisão temporária de 30 dias do rapaz.


Klebinho foi reconhecido por policiais por conta de sua tatuagem no braço
Klebinho foi reconhecido por policiais por conta de sua tatuagem no braço   Foto: Carlos Nogueira/AT

Klebinho é suspeito de atirar na direção de uma viatura da DIG no Morro do José Menino, em 18 de agosto de 2018. Segundo o investigador Paulo Carvalhal, a identificação do criminoso só aconteceu no início deste ano, após o rapaz aparecer nos vídeos divulgados pelas redes sociais. “Conseguimos identificá-lo pelas tatuagens”, explicou.


Com o objetivo de identificar e prender o tatuado armado, que ostensivamente consumia maconha, a Polícia Militar realizou uma megaoperação no morro, em 9 e 10 de janeiro. No segundo dia, três suspeitos abriram fogo contra os PMs, que revidaram os disparos. Um dos criminosos foi atingido e morreu no Hospital Municipal de São Vicente.


Klebinho postou vídeos em redes sociais portando pistola e um cigarro de maconha
Klebinho postou vídeos em redes sociais portando pistola e um cigarro de maconha   Foto: Reprodução

Tiroteio e morte


Os policiais apreenderam maconha, cocaína, crack, dois rádios de comunicação e revólver. Após o confronto, Klebinho deixou o morro com a mãe, a mulher e o filho do casal. Alegou temer sofrer retaliações dos PMs, mas há informações de que o crime organizado o expulsou da comunidade, o que ele nega.


Durante a entrevista, concedida para desfazer o que classificou de um mal-entendido, o acusado admitiu ser usuário esporádico de maconha, refutou qualquer envolvimento com o crime e disse trabalhar vendendo água mineral em semáforos e instalando película protetora em vidros de carros.


Logo A Tribuna