EDIÇÃO DIGITAL

Sexta-feira

22 de Novembro de 2019

Hackers invadem computadores de associação policial e hospital e exigem R$ 10 mi

Criminosos invadiram os servidores da Apas e do Hospital Santo Expedito e exigiram resgate para restabelecer o sistema

A Associação Policial de Assistência à Saúde (Apas) da Baixada Santista e o Hospital Santo Expedito foram vítimas de ataque cibernético seguido de extorsão.

Interligados entre si, os servidores da Apas e do estabelecimento hospitalar foram invadidos por hackers. Eles exigiram R$ 10 milhões de resgate para restabelecer o sistema.

A ação criminosa aconteceu na madrugada de terça-feira (5). No dia seguinte, à tarde, ela foi denunciada à Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Santos.

Os hackers disponibilizaram um e-mail de contato para a negociação do resgate, e ele foi informado ao delegado Luiz Eduardo Lino de Sousa.

Os crimes investigados, por enquanto, são os de invasão de dispositivo informático e extorsão. A Polícia Civil ainda não tem pistas dos hackers.

Sem comprometimento

Vários sistemas e todos os arquivos foram danificados, prejudicando o acesso aos computadores. Porém, não houve comprometimento ao atendimento dos clientes e pacientes da Apas e do Santo Expedito, localizados na Rua Dr. Carvalho de Mendonça, 335, no bairro Campo Grande.

“Não houve prejuízo no atendimento aos clientes e pacientes. O que poderia ocorrer, referente à operadora, caso não recuperássemos todos os arquivos, seria atraso nos envios de algumas informações para a ANS [Agência Nacional de Saúde Suplementar]”, informou o gerente administrativo do hospital, Marcio Lourenço Guimarães.

O representante do Santo Expedito também disse que a maioria dos arquivos corrompidos é contábil, sendo todos recuperados por meio de “backups” (cópias de segurança). Ainda segundo ele, os sistemas operacionais foram restabelecidos às 21h de quarta-feira (6).

Tudo sobre: