Logo A Tribuna
ASSINE
Icone usuario ENTRAR
CLUBE IMPRESSO ACERVO ASSINANTE

Estudo mostra que variante do Reino Unido provavelmente é mais letal

Autoridades britânicas de saúde temem que as vacinas ministradas no país não sejam eficazes contra cepas como a identificada na África do Sul

Por: Do Estadão Conteúdo  -  15/02/21  -  14:34
Atualizado em 15/02/21 - 14:52
Estudo sobre nova variante foi disponibilizada no site do governo britânico
Estudo sobre nova variante foi disponibilizada no site do governo britânico   Foto: Estadão Conteúdo/AP

Um estudo realizado pelo governo britânico mostra que a variante do coronavírus encontrada no Reino Unido provavelmente é mais mortal que outras cepas do vírus, além de mais contagiosa O estudo, que foi disponibilizado no site do governo britânico e data de 11 de fevereiro, conclui que é provável que a variante britânica do coronavírus esteja relacionada ao maior risco de mortes e hospitalizações. A partir desta segunda-feira (15) viajantes que chegarem ao Reino Unido terão que fazer quarentena em hotéis na tentativa de frear a disseminação de novas variantes do coronavírus no país.


Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!


De acordo com aAssociated Press, autoridades britânicas de saúde temem que as vacinas ministradas no país não sejam eficazes contra cepas como a identificada na África do Sul.


Na manhã desta segunda, o governo da Nova Zelândia confirmou, de acordo com aReuters, que o "lockdown" de três dias anunciado ontem por Auckland deve-se ao fato de ter sido identificada pela primeira vez no país a variante britânica do coronavírus.


Alemanha


Na Alemanha, o Ministério do Interior informou que a polícia federal impediu a entrada no país de cerca de 5 mil pessoas na fronteira com a República Tcheca e a Áustria desde que o controle de fronteiras foi reimposto, neste domingo (14).


Hungria


Na Hungria, o primeiro carregamento de vacinas contra a covid-19 desenvolvidas na China está previsto para chegar nesta terça-feira. A Hungria foi o primeiro país da União Europeia a aprovar a vacina desenvolvida pela chinesa Sinopharm.


Mortes no mundo


De acordo com a Universidade Johns Hopkins, foram registrados no mundo até o momento 108,8 milhões de casos de coronavírus, com 2,4 milhões de mortes. Os EUA registram o maior número de fatalidades (485.337), seguidos por Brasil (239.245) e México (174.207).


Logo A Tribuna