Logo A Tribuna
ASSINE
Icone usuario ENTRAR
CLUBE IMPRESSO ACERVO ASSINANTE

Reino Unido promete vacinar todos os adultos contra Covid-19 até o fim de julho

Boris Johnson ainda reafirmou que, apesar do avanço da vacinação, o relaxamento das restrições no país por conta da pandemia ocorrerão de forma "cautelosa e faseada"

Por: Do Estadão Conteúdo  -  21/02/21  -  16:20

O primeiro-ministro doReino Unido, Boris Johnson, disse que o seu governo pretende dar a primeira dose de vacinas para a covid-19 a todos os adultos do país até o dia 31 de julho, um mês antes do prazo estipulado anteriormente, segundo informou aBBC. "Alcançar 15 milhões de vacinas distribuídas foi um marco significativo. Não haverá redução e quero ver a imunização ir mais longe e mais rápido nas próximas semanas", disse o premiê, em comunicado repercutido pela imprensa local.


Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!


Johnson ainda reafirmou que, apesar do avanço da vacinação, o relaxamento das restrições no país por conta da pandemia ocorrerão de forma "cautelosa e faseada". O Reino Unido tem a terceira maior taxa de vacinados a cada 100 habitantes do mundo, de 26,30, de acordo com dados coletados pela plataforma Our World in Data, da Universidade de Oxford.

País com a maior taxa de vacinados segundo o levantamento,Israelsuspendeu diversas restrições à atividade impostas durante a pandemia. A maioria das classes de ensino fundamental e médio no país reabriram após um fechamento de quase dois meses, junto com museus, bibliotecas, shoppings e mercados. Algumas restrições quanto o número de pessoas presentes nas salas de aula permanecem em vigor. Espera-se que todo o sistema educacional volte às operações normais no início de março. Academias, piscinas, cinemas e restaurantes estão abrindo espaço para pessoas que receberam duas doses da vacina contra o coronavírus.

O governo israelense também revelou seu plano para que cidadãos imunizados possam participar de eventos culturais, viajar ao exterior e frequentar restaurantes e academias usando um aplicativo para celulares que oferece um "selo verde" que confirma o recebimento das doses da vacina.

Ainda em Israel, dados sobre o uso do imunizante fabricado pela BioNTech e Pfizer mostram que o produto foi capaz de conter infecções em 89,4% das pessoas que tomaram a vacina, fornecendo a primeira indicação de que a imunização reduz a transmissão do coronavírus entre cidadãos, mesmo entre assintomáticos, de acordo com reportagem daBloomberg. Antes, apenas resultados de estudos clínicos feitos em laboratório estavam disponíveis.

ASérviarecebeu uma primeira remessa de 150 mil doses da vacina da AstraZeneca neste domingo, em adição aos outros três imunizantes já em uso no país. Segundo informações daAssociated Press, cerca de 1 milhão de doses já foram administradas pela nação balcânica de 7 milhões de habitantes.

(Com agências internacionais)


Logo A Tribuna