Logo A Tribuna
ASSINE
Icone usuario ENTRAR
CLUBE IMPRESSO ACERVO ASSINANTE

Soteldo relembra desconfiança por ser baixinho e quer servir de exemplo para crianças

Jogador comentou sobre a questão da sua estatura e também em relação ao carinho dos seus conterrâneos venezuelanos

Por: Por A Tribuna.com.br  -  26/01/21  -  20:25
Atualizado em 26/01/21 - 20:32
Soteldo está feliz por treinar com os companheiros após quatro meses de quarentena
Soteldo está feliz por treinar com os companheiros após quatro meses de quarentena   Foto: Ivan Storti/Santos FC

O Santos contratou o meia-atacante Soteldo no início de janeiro de 2019. O venezuelano, que pertence ao Huachipato, do Chile, estava emprestado ao Universidad, também do Chile. Na época com 21 anos, ele chegou sob desconfiança de muitos por causa da baixa estatura – 1,60 metro. Nem o fato de atuar na seleção venezuelana atenuou a impressão.


Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!


Quando o camisa 10 começou a jogar, as coisas mudaram. Mas, embora tenha provado seu valor, Soteldo mostrou que não esqueceu da desconfiança em entrevista ao site oficial da Conmebol. “Passei muitas coisas, muita gente falava do meu tamanho e de não poder jogar por ser pequeno. Todo mundo tem que dar uma segurada agora, porque estou aqui. A superação foi muito boa, e isso fica de exemplo para os meninos que são pequenos também”, disse o atleta.


Por falar em Venezuela, seu país, o jogador fala com muito carinho de seus conterrâneos. Ele quer dar o título da Libertadores de presente ao povo de sua origem. “Vai ser algo muito especial para mim, para minha família, mas principalmente para a Venezuela. Porque estão sempre me apoiando quando mais preciso. Quando estou num momento ruim, sempre tem muita gente de lá me apoiando. Vai ser um presente muito especial e um prêmio que posso dar a meu povo, que tanto necessita”.


Soteldo disse que quando marcou o gol do Peixe na vitória diante do Boca, que classificou o Santos para as finais da Libertadores (3 a 0), virou “ídolo número 1” na Venezuela. “Sempre recebo muitas mensagens, falo com minha esposa que está sendo incrível. Quando passaram as semifinais, o gol contra o Boca, foi algo que explodiu, eu fui tendência número 1 na Venezuela. E isso para mim vale muito mais do que qualquer coisa”, disse o camisa 10 do alvinegro.


Mas, claro, além de uma marca pessoal, ele também quer honrar a camisa do Santos e entrar para a história do clube. “Seria o segundo venezuelano a ganhar essa competição, mas precisamos construir isso, trabalhar como a gente vem fazendo. E, se Deus quiser e nos permitir, ganhar essa Copa. Vai ser algo muito especial para a Venezuela e para mim, que entrarei na história desse clube maravilhoso”, finalizou Soteldo.


Soteldo atuou em 41 partidas com a camisa do Santos nesta temporada. Marcou sete gols e deu oito assistências. No total, já são 92 jogos no Peixe e 19 gols.


Logo A Tribuna