Logo A Tribuna

Santos leva virada do Atlético-MG e segue próximo à zona do rebaixamento

Peixe chegou a sair na frente, mas não segurou o ataque do Galo na etapa final

Por: Estadão Conteúdo  -  13/10/21  -  21:21
 A pressão atleticana foi grande no segundo tempo e o Peixe não conseguiu suportá-la
A pressão atleticana foi grande no segundo tempo e o Peixe não conseguiu suportá-la   Foto: Ivan Storti/Santos FC

O Santos foi derrotado de virada pelo Atlético-MG, por 3 a 1, na noite desta quarta-feira (13), no Mineirão, em duelo válido pela 26ª rodada do Campeonato Brasileiro. Com o resultado, o time mineiro alcançou os 56 pontos e manteve 11 de vantagem para o Flamengo. Já o time de Vila Belmiro continua com apenas 28, próximo à zona do rebaixamento.


Clique, assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe centenas de benefícios!


O começo da partida mostrou um Santos ofensivo, como se estivesse atuando na Vila Belmiro, contrariando as características táticas do técnico Fabio Carille. Já Cuca, pelo lado do Atlético-MG, reclamou da dupla de seus volantes, Allan e Jair, pelo espaço proporcionado para a armação das jogadas do adversário.


Aos dez minutos, Léo Baptistão sentiu uma lesão e foi substituído por Raniel. Na sequência, os atleticanos reclamaram muito do árbitro Paulo Roberto Alves por não marcar um agarrão em Zaracho dentro da área. O primeiro colocado do Brasileirão sentiu a falta de Hulk, poupado, como referência no setor ofensivo. Diego Costa ficou com a função.


O Santos não se intimidou e permaneceu no campo de ataque. Aos 16 minutos, Marinho bateu escanteio pela direita e causou enorme confusão dentro da área mineira. Aos 23, Raniel foi lançado e acabou se chocando com o goleiro Everson.


O Atlético demorou para agredir o Santos, mas quando o fez, foi com muito perigo. Allan bateu forte de fora da área e obrigou o goleiro João Paulo a fazer boa defesa, aos 27 minutos. A partir daí, o time da casa aproveitou a queda de intensidade santista no ataque para tomar o controle da partida. Percebendo isso, Carille, desesperado à beira do gramado, pediu para o time avançar a marcação.


Aos 38 minutos, mais um lance polêmico. Dylan entrou na área e foi barrado por Wagner Leonardo. O juiz, mais uma vez, nada marcou, causando muita reclamação da torcida presente no Mineirão. Aos 45, em outro lance dentro da área, Diego Costa levou perigo.


O Atlético voltou do intervalo com Nacho, Sasha e buscou a pressão, mas logo aos três minutos Raniel recebeu na entrada da área e virou bonito para abrir o placar para o Santos. A jogada teve início em um chute infantil de Nathan para a lateral.


Com o gol santista, a partida ficou com o panorama que se esperava desde o início, com o Atlético tendo a iniciativa e o Santos nos contra-ataques. Sem conseguir furar o bloqueio da zaga santista, o time mineiro passou a abusar das bolas alçadas na área.


De tanto tentar, o empate veio em um pênalti cometido por Lucas Braga em cima de Calebe, verificado pelo VAR. Nacho bateu com categoria, aos 24 minutos. Na saída de bola, Vinícius Zanocelo acertou o travessão de Everson em bela cabeçada.


Mas a pressão atleticana aumentou e a virada veio em nova bola alçada na área. Nathan Silva subiu muito para cabecear, aos 29 minutos. Aos 35, novo pênalti para o Atlético, com análise do VAR. Velázquez em Calebe: Nacho bate, João Paulo defende parcialmente, e o meia completa de cabeça para o gol: 3 a 1.


Daí em diante, o Mineirão ficou em festa, com os quase 17 mil torcedores comemorando mais um triunfo do Atlético-MG, que se aproxima de derrubar o jejum de 50 anos sem o título brasileiro.


Ficha técnica
Atlético-MG -
Everson; Mariano (Calebe), Nathan Silva, Rever e Dodô; Allan, Jair (Tchê Tchê) e Zaracho; Dylan Borrero (Nacho), Keno (Igor Rabello) e Diego Costa (Sasha). Técnico: Cuca.
Santos - João Paulo; Vinícius Balieiro (Diego Tardelli), Velázquez e Wagner Leonardo; Marcos Guilherme (Madson), Camacho, Vinícius Zanocelo, Jean Mota (Gabriel Pirani) e Lucas Braga; Marinho e Léo Baptistão (Raniel). Técnico: Fabio Carille.
Gols - Raniel aos três, Nacho aos 24, Nathan Silva aos 29, Nacho aos 35 minutos do segundo tempo.
Árbitro - Paulo Roberto Alves (PR).
Cartões amarelos - Raniel, Pará, Wagner Leonardo, Jean Motta e Dodô.
Renda - R$ 495.619,00.
Público - 16.514 espectadores.
Local - Mineirão, em Belo Horizonte (MG).


Logo A Tribuna