Perto do Santos, zagueiro Felipe Aguilar tem moral na Colômbia

Defensor de 25 anos, atualmente no Atlético Nacional, está próximo de ser anunciado como segundo reforço do Santos para 2019

Por: Bruno Lima  -  17/01/19  -  00:47
Atualizado em 17/01/19 - 00:49
Zagueiro de 25 anos está próximo de ser anunciado como segundo reforço do Santos para 2019
Zagueiro de 25 anos está próximo de ser anunciado como segundo reforço do Santos para 2019   Foto: Getty Images Sport

Em vias de assinar contrato de quatro anos com o Santos, o zagueiro Felipe Aguilar, do Atlético Nacional, da Colômbia, chega à Vila Belmiro credenciado como um das maiores revelações da equipe de Medelín nos últimos anos. Promovido aos profissionais em 2011, o defensor de 25 anos coleciona títulos com a camisa alviverde.
O carinho da torcida com Aguilar é tão grande que um misto de sentimentos tomou conta da torcida do Nacional com o anúncio de sua transferência para o Santos.


Segundo o jornalista Juan Carlos Jimenez, que cobre o dia a dia do time colombiano pela rádio Radio Munera Eastman, de Medelín, os torcedores lamentaram a saída pela perda do ídolo, mas comemoraram a oportunidade de vê-lo atuar em clube como o Santos. “Ele merece isso. Aguilar sempre foi um cavalheiro, um profissional exemplar”, diz o repórter.


“É um dos melhores jogadores formados na base do Nacional. Sempre foi um zagueiro muito limpo em campo. Não tem histórico de receber muitos cartões”, acrescenta Jimenez.


Questionado sobre as principais características técnicas de Aguilar, o jornalista faz uma lista com uma série de qualidades. “Tem bom posicionamento, inteligência de jogo, é bom no jogo aéreo e na marcação. É difícil apontar os pontos fracos de Aguilar. É muito técnico, um jogador que dá segurança à defesa do seu time”.


O novo reforço do Peixe não disputou a Copa do Mundo de 2018, na Rússia. Porém, acumula diversas convocações para a seleção colombiana desde as categorias de base. Após o Mundial, aliás, Aguilar foi chamado para representar o país em amistosos.


Oposto de Yerri Mina


Santi Aristi, da RCN Rádio, também de Medelín, ressalta que o novo defensor central do Peixe, além de técnico, agrega muito coletivamente. Porém, ele faz questão de dizer que não é possível compará-lo com Yerri Mina, do Everton, da Inglatera, que se destacou com a camisa do Palmeiras.


“Mina e Aguilar são bem diferentes. Mina é muito bom e, por conta da altura, tem grande capacidade de fazer gols. Ele chama a atenção com a sua alegria e suas danças. Já Aguilar é um jogador mais tranquilo, mais calado e sério. Ele tem outras características pessoais que podem ajudar o Santos de maneira coletiva, caso siga a sua evolução esportiva”, salienta.


“Ele sempre foi um líder no grupo. Não é um atleta que causa problemas para a comissão técnica e não gosta da vida noturna. Aguilar tem preocupação de estar se cuidando fisicamente”, explica ele.


Ainda de acordo com Aristi, o defensor, como todo jogador, comete falhas. Porém, não é um atleta com histórico de seguidos erros. “Nunca foi comum ver Aguilar errar por três ou quatro partidas consecutivas. Ele não é muito rápido, mas suas falhas são pontuais por desatenção, por ser driblado em mérito dos atacantes adversários ou por estar mal posicionado”, finaliza o jornalista.


Logo A Tribuna