Logo A Tribuna
ASSINE
Icone usuario ENTRAR
CLUBE IMPRESSO ACERVO ASSINANTE

Jogador do Manchester United sofre ataques racistas após perder gol

Comentários preconceitos tomaram conta de uma postagem de Anthony Martial

Por: Do Estadão Conteúdo  -  15/02/21  -  17:54
Ofensas aconteceram após empate por 1 a 1 com o West Bromwich, pela Premier League
Ofensas aconteceram após empate por 1 a 1 com o West Bromwich, pela Premier League   Foto: Reprodução/Instagram

Atacante do Manchester United, Anthony Martial foi mais uma vez vítima de comentários racistas nas redes sociais. Os ataques ocorrem após gol perdido no empate em 1 a 1 da sua equipe com o West Bromwich, neste fim de semana. O resultado deixou o time a 7 pontos de distância do líder do Campeonato Inglês, o Manchester City.


Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!


Martial já havia sido vítima de ofensas criminosas e discriminatórias anteriormente. Ele e Axel Tuanzebe, companheiro de United, sofreram ataques similares em 27 de janeiro, quando a equipe de Manchester perdeu para o Sheffield United. Inúmeros comentários preconceituosos tomaram conta de uma postagem do jogador de 25 anos, dias após a rede social ter dito que estava impondo duras penalidades aos perfis identificados cometendo tal ato.


Além deles, diversos jogadores do futebol inglês sofreram ataques racistas, o que chegou a unir clubes rivais tradicionais em uma campanha contra tal ofensa. Dentre os atletas alvos, estão Marcus Rashford e Lauren James, também do Manchester United, além de Reece James, do Chelsea, e Alex Jankewitz, do Southampton.


Na iniciativa citada, Manchester United, Manchester City, Everton e Liverpool, deixaram de lado a rivalidade para emitir comunicado conjunto pedindo o fim do racismo. "Nós condenamos o abuso racial que muitos jogadores, funcionários e colaboradores continuam a sofrer, mais recentemente nas plataformas de redes sociais", disse um trecho da publicação.


A rede social Facebook, dona do Instagram, plataforma na qual aconteceu a maioria dos ataques, se posicionou recentemente, dizendo estar "horrorizada" com os discursos de ódio que jogadores frequentemente recebem e se comprometeu a aplicar penas severas a usuários que praticarem tal ato. A Premier League, que organiza o Campeonato Inglês, também anunciou um plano para erradicar as injúrias raciais e criar mais oportunidades para minorias no futebol.


Logo A Tribuna